domingo, 31 de janeiro de 2016

Mousse de manga light

E depois da nostalgia passar, porque não adoçar o palato com esta mousse, sem remorsos ...
Eu sempre gostei de manga e quando vi no blog da Avelã uma mousse de manga light, apontei logo a receita para experimentar em breve. A que vos deixo aqui é uma adaptação da receita, porque achei que precisava de ficar um pouco mais doce (tenho dias assim). Fica uma mousse muito saborosa, com um sabor forte a manga e muito cremosa, receita a repetir :)

desculpem a foto mas foi o melhor que consegui arranjar
Ingredientes:
- 1 lata de polpa de manga de 840g (podem usar manga triturada)
- 500g de queijo quark (0% matéria gorda)
- 2 claras
- 5 folhas de gelatina (se gostarem mais compacta, coloquem 7)
- 2 colheres (sopa) de frutose ou outro adoçante a gosto

Bater as claras em castelo e reservar. Demolhar as folhas de gelatina em água fria, escorrer e levar a derreter no microondas. Bater a polpa de manga com o queijo e a frutose. Misturar um pouco do preparado na gelatina e depois envolver tudo. Misturar delicadamente as claras em castelo e verter para tacinhas (ou uma taça grande). Levar ao frio até solidificar. 
Pode servir assim simples, polvilhado com coco ralado ou regado com molho de morangos, qualquer opção fica óptima :)

Nostalgia - a quantas andas . . .

Hoje acordei nostálgica, acho que todos temos dias assim ... 
E quando isso acontece nada como alimentar mais um pouco essa nostalgia e relembrar tudo aquilo que nos acompanha ao longo dos anos. Neste caso nada melhor do que umas músicas, daquelas que me fizeram muito feliz na adolescência e que continuam a fazer parte da minha vida, daquelas que nos tocam directamente no coração e nos fazem pensar e sonhar ... 
No meu caso o repertório é longo e a escolha é difícil mas deixo-vos aqui um cheirinho da minha adolescência musical (daquela altura em que a vida era muuuuito complicada) ... um dia feliz e nostálgico (quem sabe) para vocês também :)


Esta fiquei a conhecer no Chuva de Estrelas, cantada pelo Carlos Bruno, lembram-se do programa? 
E nunca mais a larguei ...

R.E.M. - everybody hurts 
(video retirado daqui)

E esta, é daquelas músicas de meninas românticas na adolescência com as hormonas ao rubro, lembram-se ... 

Extreme - more than words
(video retirado daqui)

E um grupo português que também merece estar aqui e eu passava a vida a cantarolar com as amigas, fiquei tão triste quando acabaram ...

Silence 4 - borrow
(video retirado daqui)

Eu não disse que estava nostálgica ... nem consigo escolher uma música só :D
E vocês, o que ouviam na vossa adolescência? Contem-me tudo ...


sábado, 30 de janeiro de 2016

Semifrio de claras e ananás

Com os dias de sol sabe-me sempre bem uma sobremesa fresca, mesmo que estejamos no inverno e até possa estar frio lá fora. Este semifrio é bem refrescante, com um sabor suave a ananás reforçado com os pedaços de fruta fresca a acompanhar. E é mais uma sugestão para gastarem aquelas claras que tendem a acumular-se no congelador.


Ingredientes:
- 6 claras
- 2 pacotes de gelatina de ananás
- 200ml de natas
- 5 colheres (sopa) de açúcar
- ananás em cubos qb (tem de ser natural, nada de conservas)

Ferva 150ml de água, junte a gelatina e dissolva-a. Junte 150ml de água fria e deixe arrefecer por completo.
Bata as natas com 2 colheres de açúcar até obter um chantilly. Misture a gelatina. Bata as claras em castelo com o restante açúcar e envolva no creme de natas. Verta o preparado para uma forma de buraco, previamente passada por água fria e leve ao frigorífico até solidificar. 
Para desenformar, passe a forma por água quente e desenforme. Sirva acompanhado com o ananás em cubos.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Açorda de pescada


Ingredientes (para 3 pessoas):
- 2 postas de pescada
- 4 pães (carcaças)
- 5 dentes de alho
- 1/2 cebola
- 1 folha de louro
- 2 ovos
- 1 cubo de caldo de peixe
- colorau e coentros em pó qb
- azeite, sal e pimenta qb
- salsa picada


Comece por cozer o peixe em água temperada com o caldo de peixe, sal e pimenta. Depois limpe o peixe de peles e espinhas e reserve o caldo. Corte o pão em pedaços pequenos e verta o caldo por cima, coado.
Num tacho refogue o alho e a cebola picados em azeite, com uma folha de louro. Quando a cebola estiver bem refogada, junte o pão e os temperos e mexa até engrossar (pode precisar de um pouco mais de água). Junte o peixe e os ovos e mexa bem até obter a consistência desejada. Polvilhe com salsa picada e sirva de seguida.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Bolo de chocolate, baunilha e kumquats


Eu sou uma adepta de sobremesas, É mesmo o que me dá maior prazer na cozinha e quando a árvore de kumquats começou a ficar repleta destes frutinhos laranja fiquei logo com a ideia de os utilizar numa sobremesa, disso não tinha dúvidas. O problema estava em saber como os usar de forma a evidenciar todo o seu esplendoroso aroma. 
Como citrinos e chocolate casam muito bem, estes frutinhos maravilha também deveriam fazer o par perfeito e posso-vos dizer que não me enganei. A conjugação de sabores ficou perfeita e as natas de baunilha (tem de ser mesmo estas) fazem a ligação entre  os sabores. 
Foi a sobremesa que mais me agradou nos últimos tempos e encheu-me todas as medidas, de tal forma que mesmo calórica, não lhe consegui resistir e tirar uma fatia generosa sempre que foi apresentada na mesa. Não deixem de experimentar esta delícia, garanto que ninguém vai ser indiferente a um bolo húmido de chocolate com umas natas de baunilha saborosas rematadas com um sabor cítrico contrastante, uma sobremesa de comer e chorar por mais ...






Ingredientes para o bolo:
- 250g de chocolate de culinária (maior percentagem possível de cacau)
- 130g de margarina
- 150g de açúcar (pode reduzir se usar chocolate com menos % de cacau)
- 5 ovos
- 20g de farinha com fermento

Ingredientes para a cobertura:
- 200ml de natas para bater parmalat com sabor a baunilha
- 2 colheres (sopa) de açúcar

- 15 kumquats
- 5 colheres (sopa) de açúcar
- 6 colheres (sopa) de água


Método Yammi: 
Separe as gemas das claras. Coloque o misturador no copo e deite as claras. Programe 4 minutos/velocidade 4. Retire  as claras e reserve. 
Sem lavar o copo, com o misturador sobre a lâmina, introduza as gemas e o açúcar e programe 5 minutos / 90º/ velocidade 1. Verifique se o chocolate está bem derretido e solte-o com a espátula (se for preciso, programe mais uns minutos na mesma velocidade e temperatura). Junte a farinha e programe 20 segundos / velocidade 4.
Retirre o preparado para uma taça e incorpore as claras em castelo, delicadamente. Verta para uma forma de mola, previamente untada e enfarinhada (costumo colocar uma folha de papel vegetal no fundo para facilitar o desenformar). 
Leve ao forno pré-aquecido a 180º, durante 25 minutos ( Convém que o palito saia semi-seco). Deixar arrefecer por completo e desenformar.


Método Tradicional: 
Derreta no microondas o chocolate juntamente com a margarina até obter um creme homogéneo. Bata as claras em castelo firme. 
Bata na batedeira as gemas com o açúcar durante 5 minutos na velocidade máxima. Diminua a velocidade e junte a mistura de chocolate e a farinha. Envolva as claras em castelo e verta para uma forma de mola, previamente untada e enfarinhada (costumo colocar uma folha de papel vegetal no fundo para facilitar o desenformar). 
Leve ao forno pré-aquecido a 180º, durante 25 minutos ( Convém que o palito saia semi-seco). Deixar arrefecer por completo e desenformar.


Para finalizar:
Corte os kumquats em rodelas e coloque num tacho, juntamente com o açúcar e a água. Deixe cozinhar com o tacho semi-tapado, até ficarem translúcidos, retire as rodelas para um prato e deixe arrefecer. Bata as natas em chantilly com as 2 colheres de açúcar e cubra a superfície do bolo. Decore com as rodelas de kumquat e leve ao frio para refrescar. Sirva bem fresco e delicie-se :)


Notas:
As natas para bater parmalat com sabor a baunilha encontram-se hoje em dia em qualquer supermercado e fazem toda a diferença nesta sobremesa. Caso não encontrem, aromatizem as natas com baunilha mas não fica a mesma coisa.
Os kumquats são a estrela desta sobremesa e encaixam perfeitamente no bolo de chocolate, sejam generosos quando colocarem na cobertura, eu comecei com poucos e rapidamente corrigi o erro.
Para o bolo de chocolate, fiz a maravilha de chocolate que vem no livro da Yammi, apenas lhe alterei algumas quantidades e tempo de cozedura para ficar com a consistência que queria nesta sobremesa. 

Kumquats, um fruto maravilhoso


Qualquer pessoa pode ter uma horta em casa, seja no quintal ou na varanda, podemos plantar diversos produtos e ter sempre algo fresco para colher e consumir, algo que sabemos o que é e principalmente, que sabe ao que é. Como adepta da natureza e de tudo o que esta tem de bom, resolvi então criar um espaço aqui no blog para vos falar do que vou plantando tanto na horta como no jardim, dando a conhecer as plantas e formas de cultivo que utilizo. 

E para começar, nada melhor que inaugurar o espaço com uma das plantas que mais gosto cá em casa, o kumquat. Provavelmente algumas pessoas não sabem o que é, outras podem ter passado por eles e nem se terem apercebido e outras pessoas já os conhecem e consomem sem restrições :)  


Kumquat é um fruto da família das Rutáceas, do género fortunella, em homenagem ao botânico Robert Fortune, que introduziu o fruto na Europa em 1846. Originário do sul asiático (mais concretamente na china), era conhecido como o pequeno cítrico dourado.

O kumquat é um fruto pequeno (do tamanho de uma noz), da famílias dos citrinos e resiste a temperaturas baixas (até -10º). Floresce entre maio e julho, sendo a colheita dos frutos feita entre novembro e março. É capaz de sobreviver tanto no interior como no exterior, em canteiros ou vasos. Posso dizer que é a árvore ideal para se ter em qualquer casa, mesmo na varanda de um apartamento. Como árvore que é, fica linda quando está carregada de frutos laranja, que contrastando com o verde das folhas, decora qualquer espaço.

      

Os frutos contém menos óleos essenciais na casca, o que permite comer o fruto com a pele ( a casca é doce e a polpa ácida, dando um contraste maravilhoso). Embora existam muitas variedades, o mais comum é o kumquat nagami, sendo oval e com uma dimensão entre 3 a 5 cm de comprimento.

Deve ser plantado num solo bem drenado, num local ensolarado e protegido dos ventos, devendo ser adubado pelo menos uma vez por ano. Tem como principal praga as cochonilhas, uma espécie de lapas pequeninas que se alojam no tronco e ramos, absorvendo toda a seiva da planta, sendo necessário combatê-las com um produto específico (eu faço o tratamento uma vez por ano, depois da colheita total dos frutos e antes da nova floração).
Caso plante num vaso (como eu) convém que este seja grande e, além de adubar uma vez por ano, deve acrescentar terra na superfície sempre que necessário e regar a planta regularmente. 

      

Benefícios para a saúde:
- 100g de fruto tem apenas 71 calorias;
- como são consumidos com casca, são ricos em fibras fornecendo 17% da dose recomendada por cada 100g;
- rico em vitamina A, C e E, protegem contra o cancro, diabetes, doenças degenerativas e infecções;
- é rico em minerais como cálcio, ferro, zinco, potássio, selénio e cobre.


terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Caracóis de queijo e fiambre


Os jantares de fim de semana são sempre ligeiros cá em casa. Não existe por cá ninguém que goste de enfiar a barriga no fogão depois de uma tarde a passear ou mesmo a relaxar no sofá. Por essa razão, recorremos sempre a petiscos facéis de preparar (alguns até feitos com antecedência) e ter uma mesa recheada. Uma caldo verde quente de entrada, um prato recheado de queijos, enchidos, azeitonas e broa a acompanhar, complementado com um paté e estes caracóis fizeram um jantar de sábado bem simples e saboroso. Fica aqui a sugestão para quem quiser experimentar estas fofuras mistas :)




Ingredientes:
- 250ml de leite
- 1 e 1/2 colher (sopa) de óleo
- 2 ovos
- 1 colher (sopa) de açúcar
- 1 colher (chá) de sal
- 15g de fermento de padeiro fresco
- 500g de farinha

- queijo e fiambre fatiado qb (podem utilizar outras charcutarias a gosto)

Dilua o fermento num pouco de leite.
Comece por colocar todos os ingredientes na MFP (primeiro os líquidos e depois os sólidos, sendo o sal o último). Programe a máquina para amassar e levedar. No fim do tempo, retire a massa, estique e recheie com o queijo e o fiambre (seja generoso). Enrole e corte em fatias. Disponha-as num tabuleiro e deixe levedar até aumentar o volume (eu costumo aquecer o forno a 50º, desligar e deixar lá o tabuleiro até quase dobrar o volume). Pincele com ovo batido e leve a cozer a 180º, até alourarem.

Nota:
Estes caracóis congelam muito bem depois de prontos. Quando quiser usar, descongele à temperatura ambiente, dê um cheirinho no microondas para quebrar o frio e sirva de seguida. vão parecer acabados de fazer.
Também podem ser congelados antes de ir ao forno. Basta deixar a descongelar durante a noite no frigorífico, deixar levedar mais um pouco (eu uso o forno), pincelar com ovo e levar a assar, a 180º até alourarem. 

Paté de sardinha, mais um ...


Nos jantares de fim de semana cá em casa nunca fazemos um jantar "à séria". Geralmente recorremos a vários petiscos rápidos, acompanhados de uma sopa ou sandes. Este paté esteve presente numa dessas vezes e foi mais um a ser devorado rapidamente, porque verdade seja dita, um paté com tostinhas no meio de boa conversa desaparece sem nos darmos conta disso rapidamente :) 

Ingredientes:
- 1 lata de sardinha em tomate picante
- 2 colheres (sopa) mal cheias de maionese
- salsa picada
- picante (opcional)

Retirar a espinha central das sardinhas e esmagar com um garfo, juntar a maionese, salsa picada e picante, envolver bem e servir fresco, acompanhado de tostas. 

# Bom humor nunca é demais # 2

O que seria da vida sem umas risadas à mistura? Para mim, uma das características que mais aprecio no ser humano é mesmo o bom humor e adoro quando me fazem rir. Não gosto de ser pessimista e procuro encarar qualquer desafio com um sorriso nos lábios. Mas como a vida nem sempre nos dá motivos para rir, temos de procurar outras formas de conseguir um sorriso e nessas alturas acho muito importante que nunca nos esqueçamos dos nossos humoristas, do melhor que se faz por Portugal (ou neste caso, se fez) e relembrar alguns ícones que se tornaram imortais. Sendo assim, deixo-vos aqui um dos meus humoristas preferidos de sempre, o imortal Raul Solnado, para vos animar logo pela manhã ...

Raúl Solnado, com a guerra de 1908 (ai se todas as guerras fossem assim). Vídeo retirado do youtube 




Raul Solnado: Parou a fábrica de rir
imagem retirada da net
Raúl Solnado foi um humorista, actor e apresentador de televisão português. Para mais informações entrem aqui.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Chop suey de lulas com arroz de ervilhas e ovo


Embora seja uma fã incondicional da culinária portuguesa, confesso que gosto imenso de experimentar novos sabores e cozinhas. Desta vez, resolvi trazer um pouco da China para a minha cozinha e preparar uma refeição com toque asiático. Comecei com uns crepes de legumes e terminei com este chop suey de lulas que fez as delícias de quem comeu. Uma mistura de sabores que nos agradou e que tem de ser mais vezes explorada por estas bandas :)


Ingredientes:
- 600g de lulas ou potas
- legumes a gosto (usei uma mistura chinesa)
- brócolos
- molho de soja
- molho agridoce
- 1 cubo de caldo de peixe
- 1 colher (sobremesa) de amido de milho
- sal, pimenta, alho em pó, erva príncipe em pó e gengibre em pó
- vinho branco
- azeite

Comece por arranjar as lulas e cortar em tiras. Coza os brócolos até estarem "al dente".
Dissolva o caldo de peixe num pouco de água e junte o amido de milho. Reserve.
Numa frigideira coloque um fio de azeite, deixe aquecer e junte as lulas. Quando elas começarem a largar líquido, junte um pouco de vinho, molho agridoce, molho de soja, sal e as especiarias. Deixe cozinhar até estarem tenras, retire do lume e reserve. Na mesma frigideira junte os legumes e deixe cozinhar até estarem no ponto, tempere com os mesmos temperos das lulas. Quando estiverem quase prontos, junte o caldo de peixe e as lulas. Mexa até começar a engrossar e rectifique os temperos. Junte os brócolos e deixe cozinhar mais 2 minutos, sirva de seguida acompanhado com arroz de ervilhas e ovos mexidos.

uns crepes de legumes como entrada, receita aqui
Arroz de ervilhas e ovos mexidos para acompanhar, receita aqui

Arroz de ervilhas e ovo mexido - receita Yammi


Desde que tenho a Yammi, já testei algumas receitas para ver todas as potencialidades da máquina. Confesso que algumas surpreenderam-me, outras nem tanto (e mantenho a forma tradicional). Mas duas coisas me surpreenderam muito pela positiva: cozer o peixe ao vapor e cozinhar arroz seco e solto. 
Depois de ter visto aqui a Luísa Alexandra a fazer arroz na Bimby, resolvi também eu experimentar e adaptar à minha maquineta. Hoje deixo-vos aqui a forma como faço o arroz na Yammi, que fica sempre soltinho e passou a ser a forma de o confeccionar cá em casa.

Ingredientes:
- arroz agulha
- água (sempre uma quantidade superior a 850ml)
- azeite
- cebola ou alho
- sal

- ervilhas
- ovos 

Coloque no copo a cebola ou alho e pique 5 seg, velocidade 5. Junte o azeite e refogue 3 minutos, velocidade 1, temperatura 90º. No fim do tempo, coloque o cesto e dentro deste o arroz (na quantidade que quiser), junte o sal, as ervilhas e a água. Programe 13 minutos, velocidade 3, temperatura 100º. a meio da cozedura, mexa o arroz com a espátula. No fim do tempo, retire o cesto e coloque o arroz numa travessa. misture os ovos mexidos e sirva.
Para os ovos mexidos: bata os ovos, junte-lhes uma pitada de sal e leve a fritar numa frigideira quente, untada com óleo. Mexa sempre até obter a consistência que gosta. 

Notas:
- quando quero fazer arroz para 2 pessoas, coloco 850ml de água e marco 13 minutos; quando faço para 4 pessoas, aumento para 950ml e marco 14 minutos.  
- cerca de 4 minutos depois da máquina estar a cozer o arroz, costumo aumentar a para a velocidade 4, durante 5 segundos (para a água subir mais depressa) e depois mantenho na velocidade 3 até ao fim do programa.

sábado, 23 de janeiro de 2016

Pudim flan de microondas


Quem não gosta de pudins que levante a mão? 
Bem me parecia que não iriam estar muitos dedos no ar e o meu não está concerteza. A verdade é que eu adoro pudins (daqui a pouco devem achar que eu adoro tudo). Desde que não sejam excessivamente doces, gosto de todos. Geralmente evito aqueles cheios de ovos e carradas de açúcar ou então dou-lhes uma reviravolta e corto-lhes o necessário. A maior parte das vezes costumo cozê-los na panela de pressão por ser mais rápido e ficar igualmente saboroso. Mas naqueles dias de pressa ou quando não me apetece ter trabalho mesmo nenhum, acabo por recorrer a esta receita de pudim flan no microondas. É uma receita que está por toda a internet, com mais ou menos ovos e açúcar mas deixo-vos aqui o que eu costumo fazer e que corre sempre bem. Em vez da baunilha, às vezes aromatizo com vinho do porto, amêndoa, citrinos ou outro aroma a gosto. Não deixem de experimentar esta delícia e ter uma sobremesa feita em 5 minutos, para surpreender qualquer visita inesperada ou simplesmente matar o desejo de doces (até porque este nem é muito calórico).


Ingredientes :
- 3 ovos médios
- 3 colheres (sopa) de açúcar
- 250ml de leite
- 1 colher (chá) de aroma de baunilha
- caramelo líquido qb

Bater com uma vara de arames todos os ingredientes. Barrar uma forma com caramelo líquido e verter o preparado. Levar ao microondas na temperatura máxima (usei a potência 800w) durante 5 minutos (vai aparecer muitos buraquinhos no pudim). Deixar arrefecer por completo e levar ao frio. Desenformar só quando estiver bem fresco.

Pão de sementes Pingo Doce


Pão é talvez o único alimento que não pode faltar cá em casa. Seja de compra ou caseiro, faz parte dos nossos rituais gastronómicos. Já experimentei várias farinhas pré-preparadas e gostei de algumas, não repeti outras, mas sempre que surge uma em bom preço, gosto de experimentar. Desta vez, quando vi uma mistura para pão de sementes no Pingo Doce em promoção, resolvi trazer uma embalagem comigo. Mal dei a primeira trinca, arrependi-me logo de não trazer mais. Ficou um pão bem escuro, cheio de sementes e ainda por cima, extremamente fofo. Se não bastasse, ainda lhe embelezei a superfície e então ficou perfeito. Para quem ainda não experimentou, não sabe o que está a perder ... e não, não me pagaram para fazer publicidade, mas os bons produtos merecem :D 

Ingredientes:
- 1 embalagem de pão com sementes Pingo Doce (500g)
- 2 colheres (sopa) de óleo (eu usei uma de azeite)
- 300ml de água

É só colocar todos os ingredientes na máquina do pão, programa Amassar e Levedar. No fim, dar a forma pretendida, pincelar com água e passar por uma mistura de sementes e aveia (se gostarem do pão embelezado), deixar levedar até aumentar um pouco de volume e levar ao forno, a 200º, até estar cozido. Deixar arrefecer sobre uma rede. Eu comi com queijo e deliciei-me da primeira à última trinca :)

Caso não tenha uma MFP, misturar todos os ingredientes à mão ou num robot de cozinha, até estar uma massa bem homogénea e levemente elástica e deixar repousar, tapada, até duplicar de volume.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Pavlova de chocolate, café e caramelo


Doces são sempre a minha perdição e a sobremesas nunca digo que não. Por essa razão, todos os fim de semana temos uma sobremesa na mesa, um docinho para terminar a refeição em beleza. Esta pavlova cumpriu o seu trabalho muito bem e fez as delícias de quem a provou. Um final de refeição perfeito, uma sugestão para o fim de semana que está à porta :)


Ingredientes:
- 4 claras
- 12 colheres (sopa) rasas de açúcar (3 colheres por cada clara)
- 2 colheres (chá) de amido de milho
- 1 colher (chá) de vinagre de sidra
- 2 colher (sopa) de cacau em pó

- 200ml de natas
- 3 colheres (sopa) de açúcar
- 2 folhas de gelatina*
- 1 café expresso
- raspas de chocolate
- molho de caramelo

Aqueça o forno a 180º. Bata as claras em castelo e vá adicionando o açúcar aos poucos até obter picos firmes. Junte o cacau, o vinagre e o amido de milho e bata até misturar na velocidade mínima. Coloque este merengue num tabuleiro forrado com papel vegetal, tendo o cuidado de fazer a forma de um círculo (deixe mais alto ou espalmado consoante queira mais esponjoso ou crocante). Leve ao forno até dourar e ficar crocante (cerca de 30 a 40 minutos). Se começar a dourar muito rápido, baixe a temperatura para 150º. Desligue o forno e deixe arrefecer lá dentro (eu costumo fazer à noite e deixar arrefecer até de manhã).
Demolhe as folhas de gelatina e derreta-as no microondas. Misture com o café.
Bata as natas, junte o açúcar e continue a bater até obter um chantilly. Misture o café e envolva bem. Cubra a pavlova com o creme, coloque colheradas de molho de caramelo e polvilhe com raspas de chocolate. Leve ao frigorífico até refrescar e sirva fresca. Esta pavlova mantém-se crocante mesmo 2 dias depois de estar no frio.

* Se virem que as natas estão bem firmes, podem omitir as folhas de gelatina.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Feijão preto com salsichas frescas e couve


Feijão é um dos ingredientes que eu mais gosto e reconfortam-me sempre nestes dias frios. Esta refeição é apenas mais uma mas que me soube muito bem e além disso é composta por leguminosas, algo que nos faz muito bem. Só é pena eu nunca conseguir que este tipo de refeição fique bem no prato, mas paciência :)


Ingredientes (2 pessoas):
- 2 a 3 salsichas frescas
- 1 lata de feijão preto (das pequenas)
- 1 cebola
- 1 cenoura
- 2 dentes de alho
- 1 folha de louro
- couve lombarda ou coração
- rodelas de chouriço (usei mouro)
- sal, pimenta, colorau e cominhos qb
- 1 fio de azeite

Pique os alhos e a cebola. Corte a cenoura em rodelas e a couve em tiras. 
Num tacho, coloque um fio de azeite e frite levemente as salsichas (pique com um garfo). Quando ganharem cor, retire e corte em rodelas grossas. No mesmo tacho, refogue a cebola, alho, cenoura e louro. Quando a cebola amolecer, junte o chouriço e as salsichas. Deixe refogar um pouco e junte água e os temperos. Quando as salsichas estiverem quase prontas, junte a couve e deixe cozinhar até esta amolecer. Junte depois o feijão com a calda, rectifique os temperos e deixe cozinhar mais 5 a 10 minutos. Sirva acompanhado com arroz branco.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Biscoitos de coco e corn-flakes


Domingo foi um dia de chuva e nada como fazer uns docinhos para encher as latas de bolachas que estavam já na reserva. Depois de fazer o soufflé, e aproveitando o forno quente, saíram estes biscoitos. Ficam com um sabor ligeiro a coco e crocantes, se deixar ganhar cor (como eu gosto) ou uns bolinhos com interior fofo se os deixar mais pálidos. Seja como for, experimentem e digam-me lá se não ficam perfeitos com uma bebida quente ... 


Ingredientes:
- 150g de margarina
- 2 ovos médios
- 1 chávena de açúcar amarelo
- 1/2 chávena de açúcar branco
- 1/2 chávena de leite
- 2 chávenas de farinha
- 5 chávenas de corn-flakes
- 2 chávenas de coco ralado
- 1 colher (chá) de fermento em pó

Partir ligeiramente os corn-flakes. Derreter a margarina, juntar os restantes ingredientes e misturar bem com uma colher de pau. Colocar colheradas de massa espaçadas num tabuleiro e levar ao forno, a 180º, até alourarem. Ao arrefecer, elas vão endurecer um pouco mais.

Nota: esta receita deu-me para 55 biscoitos e na minha opinião, eles são melhores lourinhos do que pálidos.

Esta receita encontrei-a na internet há alguns anos atrás mas como não tenho a fonte e depois de uma procura não encontrei os ditos cujos em lado nenhum, peço desculpa ao autor e caso seja sua a receita, envie-me uma mensagem via e-mail para eu actualizar o post.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Chop suey de porco com brócolos


Eu sou uma pessoa que nunca gostou de comida asiática, mais precisamente dos sabores chineses. Confesso que ir a um restaurante chinês era um suplício para mim. mas depois comecei a utilizar em casa alguns produtos orientais e a testar sabores. A realidade é que passei a gostar e bastante, principalmente quando se trata de juntar molho de soja com algo adocicado. 
Este prato foi o meu almoço um dia destes quando me deu saudades deste tipo de comida e confesso que até a minha mãe (mais esquisita do que eu nestas chinesadas) provou e gostou bastante. Posso-vos dizer que ficou aprovado e é para repetir rapidamente.


Ingredientes:
- tiras de porco (podem ser costeletas, bifanas, lombinho, ...)
- brócolos
- molho de soja
- doce de pimento vermelho (ou molho agridoce)
- sal, pimenta, colorau, erva príncipe em pó e alho em pó
- vinho branco
- mostarda
- caldo de galinha dissolvido em água
- maisena

Tempere as tiras de carne com um pouco de vinho, mostarda, doce de pimento vermelho, sal (pouco), pimenta, colorau, erva príncipe e  alho em pó.
Coza os brócolos em água tempera com sal até ficarem "al dente". Escorra-os e reserve. (aproveite a água para fazer uma sopa, arroz ou regar as plantas depois de fria)
Aqueça um pouco de água e dissolva o caldo de galinha. Junte-lhe um pouco de maisena e mexa. Reserve.
Num wok, coloque um pouco de azeite e deixe aquecer. Junte a carne e marinada e deixe cozinhar. Tempere com o molho de soja. Junte depois a água temperada e mexa de vez em quando até começar a engrossar o molho. Rectifique os temperos e junte os brócolos. Deixe cozinhar mais um pouco e sirva. Acompanhe com arroz branco (temperado com louro e alho).

Nota: não coloquei quantidades porque depende muito dos gostos de cada um em relação aos temperos.


segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Soufflé de atum e cenoura

Depois de um sábado lindo de céu azul, tinha de vir um domingo cinzento e cheio de chuva. Como tal, nada como uma comidinha de forno para nos aquecer o corpo e a alma e desta vez a escolha recaiu por um soufflé.  
Soufflé é um daqueles pratos que toda a gente gosta (menos o meu irmão) e, como tal, sai algumas vezes desta cozinha, tanto por ser fácil de confeccionar como por ser rápido e prático (enquanto o coitado está no forno, arruma-se a maior parte da cozinha e depois é só desfrutar).
Como tinha muitas claras no congelador a necessitarem de ser gastas, resolvi desta vez testar o soufflé apenas com elas, sem as gemas e ver qual o resultado (e assim ter mais uma sugestão para as gastar quando é necessário). O que posso dizer é que não senti qualquer diferença em relação aos outros que tinha feito anteriormente, o único erro cometido foi mesmo retirar um pouco antes do forno (dada a fome que era tanta) e ele abater um pouco. Mas nada de mais a apontar e esta será uma receita a repetir mais vezes, sem sombra de dúvidas :)


Ingredientes (3 pessoas):
- 1 cenoura ralada
- 1 lata de atum
- 1/2 cebola picada
- 4 claras batidas em castelo firme
- molho cocktail qb
- sal e pimenta qb
- 1 fiozinho de azeite
- 2 e 1/2 colheres (sopa) cheias de farinha
- 500 ml de leite
- pão ralado para polvilhar

Comece refogar no azeite a cebola e a cenoura. Quando a cebola amolecer, junte o atum, o molho cocktail, sal e pimenta. Envolva e deixe cozinhar 1 minuto. Junte um pouco de leite e a farinha, envolva bem e verta o leite restante. Mexa até engrossar. Retire do lume e deixe arrefecer um pouco. Envolva as claras em castelo e verta para uma forma alta (previamente untada). Polvilhe com pão ralado e leve ao forno a 220º, até dourar a superfície. Retire e sirva de imediato, acompanhado com uma salada. 

sábado, 16 de janeiro de 2016

Couscous com legumes e amendoim

Descobri os couscous há cerca de ano e meio e desde então são sempre presença assídua na dispensa. Comidos frios no verão ou quentes no inverno, proporcionam sempre uma refeição bem agradável e muito rápida de se confeccionar. Esta é apenas mais uma versão deste alimento que tanto pode ser servida como refeição principal (tal como eu fiz) ou então como acompanhamento de carne ou peixe. Não coloco quantidades porque depende muito dos gostos de cada um, além disso podem substituir os legumes por outros que gostem mais ou tenham por aí. Os amendoins foram um extra que, no meu ver, complementaram o prato e já estou a pensar introduzi-los noutras receitas futuras. 
E assim retomo a minha rotina semanal de ter um prato vegetariano pelo menos uma vez por semana na mesa, algo que andava esquecida nos últimos tempos ... 
Ingredientes:
- couscous
- cenoura
- courgette
- brócolos
- cebola
- amendoins torrados
- azeite
- sal, pimenta, açafrão, colorau, alho em pó e cominhos
- sumo de limão
- vinho branco

Comece por cozer os brócolos até ficarem "al dente". Corte a cebola em rodelas, a cenoura em juliana (palitos finos) e a courgette em rodelas e depois em quartos. 
Leve a aquecer no microondas uma dose de água e depois de aquecida, junte-lhe uma dose (mal medida) de couscous, sal fino e açafrão. Mexa com um garfo e tape, deixando repousar cerca de 3 minutos. Junte sumo de limão e mexa novamente com um garfo, até ficar soltinho (pode acrescentar mais couscous ou água, conforme a consistência que goste, eu gosto dele soltinho).
Leve ao lume um wok com um fio de azeite e quando aquecer, junte os legumes e deixe refogar 3 minutos. Junte o vinho, sal, pimenta, colorau, alho em pó, cominhos e os amendoins. Envolva bem e deixe cozinhar até os legumes estarem no ponto (se for necessário junte um pouco de água). Junte os brócolos e os couscous e envolva bem. deixe cozinhar mais 2 minutos e sirva.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Bolo de vinho do Porto (extremamente fofo)

Quem me conhece sabe que eu não dispenso uma boa fatia de bolo ao lanche. No entanto, procuro seguir algumas regras quando os faço tendo especial atenção à gordura e açúcar inseridos, sim porque eu não consigo comer apenas uma fatia, meus caros :)
Este bolo é uma mistura de pão-de-ló e bolo-esponja. Fica um bolo pequeno muito fofo e leve, mas também húmido e aromático. Perfeito para acompanhar com uma boa chávena de chá ou café, como preferirem :) 



Ingredientes:
- 4 ovos
- 2 gemas
- 80g de farinha com fermento
- 90g de açúcar (pode aumentar um pouco se for muito guloso)
- 75 ml de vinho do porto ou outra bebida licorosa

Bata na batedeira as gemas e os ovos com o açúcar até obter um creme muito fofo e este ter aumentado de volume (cerca de 10 minutos na velocidade máxima). Diminua a velocidade e junte o vinho. Envolva a farinha, previamente peneirada, com uma espátula e verta para uma forma redonda forrada com papel vegetal. Leve ao forno a 180º, até o palito sair quase seco. 

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Tortilha de bacalhau

A tortilha, de origem espanhola, é uma das minhas paixões gastronómicas. Embora não seja um prato nada especial, eu adoro-a. Não sei se é da mistura dos ovos com a batata ou se é de outra coisa, mas a verdade é que eu gosto de todas. A particularidade das tortilhas é que se podem fazer de forma a aproveitar sobras de outras refeições e ter assim uma nova bem saborosa (só tenho pena que seja frita mas temos sempre o forno embora não seja a mesma coisa).


Ingredientes:
- bacalhau cozido (aproveitamentos)
- batata em palitos finos
- cebola em rodelas finas
- pimento vermelho em cubinhos
- louro, sal e pimenta
- ovos
- óleo ou azeite

Comece por fritar as batatas (eu fritei na frigideira com uma mistura de óleo e água, até estarem moles). Retire e reserve, sobre papel absorvente. Na mesma frigideira, junte um pouco de azeite e refogue a cebola, louro e pimento, até a cebola estar macia, junte o bacalhau e deixe refogar mais 2 minutos. Bata os ovos numa taça, junte o refogado de bacalhau, as batatas e tempere de sal e pimenta. Envolva bem e leve a fritar na frigideira com um pouco de óleo. Quando se começar a descolar nas laterais, coloque um prato por cima da frigideira e com a ajuda de um pano vire ao contrário. Faça deslizar a tortilha de novo do prato para a frigideira e deixe cozinhar até ficar dourado. Sirva de seguida, acompanhada com uma salada. 

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Cheesecake de limão e gengibre

Quem me conhece sabe que eu sou uma amante de limão. É aquele fruto que serve para tudo desde doces a salgados, passando pelas bebidas e terminando na limpeza doméstica. E para complicar a coisa também ADORO cheesecakes, então as duas coisas juntas só me podem comprometer a linha (mas confesso que para comer umas fatias desta delícia não me importo nada). Este é um dos cheesecakes que mais faço a par do de frutos vermelhos, mas aqui dei-lhe um toque final diferente ao juntar o gengibre que lhe conferiu um ligeiro picante muito agradável e vou repetir mais vezes. Se forem amantes de limão como eu não deixem de experimentar este e dar o vosso veredicto :)


Ingredientes para a massa:
- 200g de bolacha maria
- 60g de margarina
- 1 colher (chá) de gengibre em pó

Ingredientes para o recheio:
- 250g de queijo quark
- 2 ovos
- 200ml de natas
- 2 iogurtes naturais
- 7 colheres (sopa) de açúcar
- 6 folhas de gelatina
- raspa de 1 limão

Ingredientes para a cobertura:
- 1 limão (raspa e sumo)
- 1 colher (chá) de gengibre em pó (pode diminuir se não gostar de um sabor acentuado)
- 1 ovo
- 20g de margarina
- 70g de açúcar

Triturar as bolachas, juntar o gengibre e a margarina derretida e envolver bem. Forrar o fundo de uma forma de fundo amovível e reservar. (Eu costumo colocar directamente sobre o prato de servir e colocar o aro)
Bater as gemas com 5 colheres de açúcar, misturar o queijo, os iogurtes e a raspa de limão. Bater as natas com o restante açúcar até ficarem firmes e envolver no preparado anterior. Bater as claras em castelo e envolva também no preparado. Derreter a gelatina e misture-lhe um pouco do preparado para a temperar. Juntar depois ao preparado e verta sobre a bolacha. Levar ao frio até solidificar.
Para a cobertura, misturar num tacho todos os ingredientes e levar ao lume brando até engrossar, mexendo sempre. Caso queira uma cobertura lisa, passe o creme por um passador de rede. Deixar arrefecer e verter sobre o cheesecake. Decorar a gosto.

O limoeiro cá de casa ...

Todos os anos é assim :)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...