quinta-feira, 31 de março de 2016

Red fish assado no microondas com batata a murro


Já cheguei a dizer por aqui que peixe não é algo que eu goste muito mas o meu problema não é tanto o peixe mas sim alguns desses peixes. Confesso que sardinhas, carapaus, salmão, ... não consigo mesmo gostar mas existem peixes como pescada, red fish, fanecas, tamboril, ... que até gosto bastante e sendo assim procuro sempre encontrar novas formas de os comer. A receita que vos trago hoje surgiu da vontade de comer peixe assado mas não querer ligar o forno apenas para uma pessoa (a electricidade anda muito cara) e nessas alturas o microondas é uma solução eficaz. Este peixe ficou muito bom, cheio de sabor e nada seco, bem como gosto. Uma receita prática, sem trabalho, rápida (em 20 minutos estava a comer) e muito saborosa, receita a repetir mais vezes, de certeza :) 
E vocês ... também usam o microondas para cozinhar? 



Ingredientes:
- red fish
- cebola em rodelas finas
- alho picado
- pimento verde e vermelho em tiras finas
- courgette em rodelas finas
- tomate em rodelas finas
- sumo de limão
- azeite
- vinho branco
- tomilho fresco
- sal, pimenta e hortelã seca picada


Comece por limpar o peixe de escamas e tempere com sal, pimenta, hortelã seca, alho picado e sumo de limão. Num recipiente que possa ir ao forno coloque em camadas a cebola, a courgette, o tomate e o pimento. Tempere com sal, pimenta e o tomilho fresco. Coloque por cima o peixe e a marinada. Leve ao microondas a assar (o meu microondas tem programas específicos e no meu caso correspondeu a 20 minutos a 360º com o grill ligado). Sirva de seguida acompanhado com batatas cozidas.
Para as batatas, eu cozi batatinhas com casca em água e sal, depois dei-lhes um murro e reguei-as com azeite de alho (levar ao lume uma boa porção de azeite e alho laminado até este dourar, desligar o lume, descartar o alho e utilizar o azeite).

quarta-feira, 30 de março de 2016

Semifrio de iogurte e coulis de amora


Quem me conhece sabe que embora até goste da cozinha, a verdade é que são os doces que me fascinam, em especial os bolos e sobremesas. Como tal, gosto sempre de fazer algo novo, trocar algo aqui e ali, gastar o que está a pedir para ser gasto, enfim, inventar. Este semifrio surgiu da necessidade de gastar umas quantas amoras que estavam no congelador e adorei o seu sabor levemente doce, nada enjoativo, uma receita a repetir :)

Ingredientes:
- 200g de bolacha maria
- 80g de margarina derretida
- 1/2 lata de leite condensado (podem colocar mais se forem gulosos)
- 4 iogurtes naturais (ou de frutos silvestres, morango, ...)
- 200ml de natas
- 7 folhas de gelatina

Para o coulis de amoras:
- amoras qb
- açúcar qb (o suficiente para adoçar)
- umas gotas de sumo de limão

Comece por fazer o coulis. Leve ao lume as amoras, o açúcar e umas gotas de limão. Deixe cozinhar até começar a engrossar. Triture, coe e reserve.

Triture as bolachas, junte a margarina derretida e envolva bem. Espalhe sobre o fundo de uma forma de aro amovível e reserve.

Demolhe as folhas de gelatina em água fria. Bata as natas até ficarem firmes, junte o leite condensado e os iogurtes e continue a bater até ficar um creme homogéneo. Escorra as folhas de gelatina e derreta-as no microondas (cerca de 5 a 10 segundos). Misture-lhes um pouco do preparado para as arrefecer e depois envolva-as no creme. Verta sobre as bolachas e leve ao frio até solidificar. Desenforme e cubra com o coulis. Enfeite a gosto.


Nota: caso opte por iogurtes aromatizados, tenha cuidado com a quantidade de leite condensado. No caso dos iogurtes naturais, pode ter de aumentar um pouco a quantidade se for guloso :) 


terça-feira, 29 de março de 2016

Bifinhos rápidos com esparguete


Há dias em que temos tempo para andar às voltas com os tachos mas existem outros em que o melhor é deixar o almoço para os outros fazerem. E é nesses dias que costumo incumbir a tarefa a alguém, neste caso à Yammi. Esta foi mais uma receita feita por ela enquanto eu tratava de outros assuntos e mais uma vez ficou uma refeição aprovada e bem degustada por todos. Uma receita bem simples e saborosa, adaptada do livro da Yammi,  para experimentarem com ou sem robot :) 

Ingredientes:
- 500g de carne em bifinhos (eu usei porco)
- 1 cebola
- 2 dentes de alho
- 1 folha de louro
- 2 cubos de caldo para bifes
- 150ml de água
- azeite qb
- 50ml de vinho branco
- molho inglês qb
- sal e pimenta qb

Método Yammi:
No copo coloque a cebola e os alhos, pique 10 segundos na velocidade 5. Junte a folha de louro e o azeite, refogue 5 minutos, velocidade 1 na temperatura 100º. Adicione a água, o vinho, o molho inglês, os cubos de caldo para bifes e misture 5 segundos na velocidade 4.
Introduza a carne partida em pedaços e programe 15 minutos na velocidade 1 a 100º. Rectifique os temperos e programe mais 10 minutos à mesma temperatura e velocidade. Se precisar, acrescente mais uns minutos.
Acompanhe com puré de batata, arroz ou esparguete.

Método Tradicional:
Num tacho refogue a cebola e o alho picados, num fio de azeite e o louro. Adicione a água, o vinho, o molho inglês, os cubos de caldo para bifes e a carne partida em pedaços. Deixe refogar até a carne começar a ficar tenra, rectifique os temperos e deixe acabar de cozinhar.
Acompanhe com puré de batata, arroz ou esparguete.



segunda-feira, 28 de março de 2016

Creme de ervilhas - yammi ou não


Espero que tenham passado uma Páscoa bem agradável :) Por aqui, passou-se por terras "hermanas" junto da família, numa mistura entre iguarias portuguesas e galegas. Uns dias de excessos gastronómicos e descanso, acima de tudo uma mudança de ares que sabe tão bem. Mas agora com o ínicio da semana, há que limpar o organismo dos excessos e nada melhor que uma sopa para esse efeito.
Mas na verdade há coisas que eu não entendo e o meu gosto repentino por sopas é uma delas. A verdade é que eu nunca gostei de sopa, desde miúda sempre odiei e fui obrigada a comer (como todas as crianças). A par do leite (que vou tolerando se disfarçado), as sopas sempre pertenceram ao grupo de refeições a manter à distância e apenas algumas me deliciavam (canja e caldo-verde). No entanto, sempre esteve presente na mesa cá de casa porque o meu pai, ao contrário de mim, não vive sem ela.
Com o passar dos anos, surgiram mais uma ou outra que me conquistaram mas nada de mais. No entanto, desde que comprei a Yammi e passei a testar algumas receitas, fiquei fã tanto do sabor como da cremosidade e acho que vai aparecer mais vezes sopinha por cá, até porque nos faz tão bem. Uma sugestão para aliviar o estômago dos excessos da Páscoa :)


Ingredientes (para 2 pessoas):
- 1 dente de alho
- 1/2 cebola
- 1 batata média
- 100g de ervilhas congeladas
- 500ml de água
- azeite e sal qb

Método Yammi:
Coloque no copo a cebola e o alho cortados com um fiozinho de azeite. Refogue durante 3 minutos, velocidade 2, temperatura 100º. Junte a água, a batata cortada em cubos pequenos, as ervilhas e o sal. Programe 14 minutos, velocidade 2, temperatura 100º. Quando acabar, triture durante 1 minuto, passando progressivamente pelas velocidades 5, 7, 9. Sirva de seguida simples ou com pão torrado.

Método tradicional:
Refogue a cebola e o alho cortados com um fiozinho de azeite até a cebola ficar transparente. Junte a água, a batata cortada em cubos pequenos, as ervilhas e o sal. Deixe cozer as batatas. Triture tudo muito bem com a varinha mágica e sirva de seguida simples ou com pão torrado.


sábado, 26 de março de 2016

Uma Páscoa feliz

Desejo-vos a todos uma Páscoa feliz, com uma mesa cheia de gulosices e na presença dos que mais gostam. Que reine a paz e alegria :)

FelizPascoa[16]
imagem retirada da net

sexta-feira, 25 de março de 2016

Bolo de bolacha e caramelo


Eu adoro bolo de bolacha mas não aquele tradicional, com creme de manteiga. Aliás, tudo o que leve creme de manteiga eu simplesmente não consigo comer. Por essa razão, eu andei anos sem comer bolo de bolacha. Mas como tudo muda, desde que descobri que existem outros bolos de bolacha menos tradicionais, passei a comer novamente e a receita que vos deixo hoje é apenas mais uma variante dessa sobremesa, bem menos enjoativa e até um pouco mais saudável (mas só um pouco). Mais uma ideia para fazer parte da mesa da Páscoa ou de outra mesa qualquer, porque esta é uma sobremesa que servida bem fresca é óptima para desenjoar. Não deixem de experimentar e digam lá se não se come muito bem :)


Ingredientes:
- 400ml de natas
- 1/2 lata de leite condensado
- 1 colher (sopa) de café bem forte
- 2 colheres (sopa) de caramelo líquido
- 5 folhas de gelatina

- bolachas maria qb
- café forte qb
- raspas de chocolate qb
- caramelo líquido qb


Comece por colocar as folhas de gelatina a demolhar em água fria. Bata as natas até começarem a engrossar, junte o leite condensado e continue a bater. Envolva o café e o caramelo. Escorra as folhas de gelatina e leve-as a derreter no microondas (cerca de 10 segundos). Misture-as com um pouco do preparado para as temperar e depois envolva bem no creme.
Coloque um aro num prato de servir e comece por fazer uma camada de bolacha demolhada no café. Cubra com um pouco de creme e depois mais uma camada de bolacha demolhada. Continue assim até finalizar, sendo a última camada de creme. Leve ao frio até solidificar. Decore com caramelo líquido e raspas de chocolate.


quinta-feira, 24 de março de 2016

Ninho da Páscoa


Eu sempre adorei a Páscoa, não tanto como o Natal, mas mesmo assim é uma época que adoro. Gosto de encher a mesa cheia de gulosices, experimentar novas receitas de folares, colocar doces das várias regiões do país, enfim, ir para a cozinha e divertir-me. 
E com a Páscoa mesmo a bater à porta, surgem então as ideias para encher a mesa cheia de coisas bem gulosas. Com esse intuito, deixo-vos aqui mais uma sugestão para juntarem à vossa lista: um bolo fofo, com doce de ovos, amêndoa e chocolate, uma delícia. 

Ingredientes:
- 4 ovos
- 140g de farinha
- 120g de açúcar
- 1 colher (chá) de baunilha 

Para o recheio:
- 8 gemas
- 8 colheres (sopa) de açúcar
- 8 colheres (sopa) de água
- 80g de amêndoa picada grosseiramente

Para a cobertura:
- chocolate de culinária
- leite
- fios de ovos
- amêndoas

Bata as claras em castelo, juntando o açúcar aos poucos até obter um merengue (cerca de 15 minutos). Com a batedeira sempre ligada, junte as gemas, uma a uma. Envolva delicadamente a farinha com uma espátula e por fim o aroma de baunilha. Verta para uma forma redonda untada e polvilhada, e leve ao forno a 180º durante cerca de 30 minutos. deixe arrefecer um pouco e desenforme (evite correntes de ar para o bolo não baixar). Não deixe cozer demasiado o bolo para não secar.

Entretanto prepare o creme de ovos: leve ao lume um tacho com as gemas, o açúcar e a água, mexendo sempre em lume brando até engrossar. Junte a amêndoa, deixe arrefecer e reserve.
Corte o bolo ao meio, recheie com o doce de ovos e cubra com o restante bolo. Derreta o chocolate de culinária num pouco de leite e cubra todo o bolo. Decore com raspas de chocolate, fios de ovos e amêndoas. Mantenha no frio até à hora de servir.


quarta-feira, 23 de março de 2016

Risotto de cogumelos e barriga fumada


Risotto é um prato que aprendi a fazer numa das minhas muito rápidas passagens entre canais, quando parei no masterchef austrália que tanto gosto. Desde então, várias foram as vezes em que já o fiz, variando consoante o que se tem em casa e os apetites da hora. Este é só mais um, um que deveria ser só de cogumelos mas que à última hora foi acrescentada a barriga fumada para dar mais sabor (uma vez que um dos comensais não vai muito à bola com os cogumelos). Uma receita a repetir mais vezes, até porque nós adorámos risotto :)


Ingredientes:
- 1 cebola pequena
- 2 dentes de alho
- 100g de barriga fumada
- 200g de cogumelos (usei branco e portobello)
- 2 cubos de caldo de galinha qb
- um fio de azeite
- 1 noz (pequena) de margarina
- 60g de queijo ralado (usei gouda)
- arroz para risotto qb
- vinho branco qb


Comece por aquecer água com os caldos de galinha e mantenha-a quente.
Refogue a cebola e os alhos picados num fio pequeno de azeite com a margarina até a cebola amolecer. Junte o arroz e a barriga fumada partida em tiras. Deixe fritar um pouco e adicione o vinho. Deixe fritar cerca de 1 minuto e junte um pouco de água do caldo (cerca de 2 conchas) e os cogumelos. Quando a água começar a evaporar, junte mais um pouco de água e assim sucessivamente até o arroz estar cozido, rectifique os temperos e vá mexendo várias vezes para não pegar. Quando estiver pronto, junte o queijo, envolva bem e sirva de imediato.


terça-feira, 22 de março de 2016

Crepes com gelado e morangos (e uma solução salgada)


E quem não gosta de crepes, que levante a mão? Pois ... bem me parecia que quase todos gostam deste tipo de massa bem fina e versátil que tanto nos faz o almoço como a sobremesa, o pequeno-almoço, o lanche ou melhor, até onde nos levar a imaginação. 
Como por cá todos gostam bastante de crepes, este fim de semana foi feita mais uma dose que desapareceu rapidamente, servindo para a sobremesa e também jantar de domingo, ou seja, este domingo foi literalmente um dia de crepes :D
A receita dos crepes mais usual cá de casa já a tinha publicado aqui no blog mas nunca é demais voltar a lembrar e assim sendo, deixo-vos aqui duas soluções fáceis e rápidas, uma doce e outra salgada, para aqueles dias em que não sabemos o que fazer mas queremos na mesma impressionar e roubar algum sorriso ao degustarem o que acabámos de fazer :)


Ingredientes (rende cerca de 17 crepes médios/pequenos):
300ml de leite
200ml de água
3 ovos
1 colher (sopa) de óleo
250g de farinha 
uma pitada de sal

Misturar todos os ingredientes (eu costumo depois passar por um coador para evitar os grumos), deixar repousar cerca de 15 minutos e levar a cozinhar numa frigideira anti-aderente (costumo colocar um pouco de óleo e depois limpar com uma folha de papel absorvente). Colocar uma concha, rodar a frigideira até espalhar bem a massa, quando começar a soltar as laterais, virar e deixar cozinhar do outro lado. Quando a massa acabar, rechear a gosto.

Para os crepes doces:
- crepes
- gelado de baunilha
- morangos frescos
- molho de chocolate

Recheie os crepes com o gelado, dobre as laterais e enrole, Decore com o chocolate e os morangos.


Para os crepes salgados:
- crepes
- queijo qb
- fiambre qb

Coloque uma fatia de queijo e outra de fiambre em metade do crepe. Dobre a meio e depois novamente, Aqueça uma frigideira anti-aderente e coloque lá os crepes, virando-os quando começar a dourar e o queijo a derreter. Sirva de imediato e acompanhe com uma salada verde.


segunda-feira, 21 de março de 2016

Massa com legumes salteados


Quando penso em refeições vegetarianas, penso logo em massa também. A verdade é que um dos meus pratos vegetarianos preferidos é massa com legumes. Posso variar os legumes, a massa, os temperos, mas continua a ser sempre a minha versão favorita. Mas também quem é que não gosta de massa :)
Esta sugestão que vos deixo hoje é apenas mais uma, já tinha publicado aqui outra e outra, mas como estes pratos são daqueles que saem na hora, com o que se tem por casa, acabam sempre por ser diferentes. E a grande vantagem é que podemos reduzir bastante nos hidratos de carbono, aliás, até nem era preciso o acompanhamento mas massa é massa e ninguém lhe resiste, nem eu mesma. Neste em especial, posso dizer que se a rainha veio em forma de legumes, o rei foi o queijo, fazendo a ligação de sabores e dando um toque especial a uma simples massa com legumes. Adaptem aos legumes que mais gostem, com outro tipo de queijo (de preferência forte), acima de tudo inspirem-se e comam mais legumes :)


Ingredientes:
- courgette
- cenoura
- pimento verde e vermelho
- cogumelos frescos laminados
- cebola
- alho
- couves de bruxelas (as minhas estavam cozidas)*
- talos de couve-flor em tiras**
- colorau, sal e picante
- vinho branco
- polpa de tomate
- molho inglês
- azeite (muito pouco)
- queijo da serra ou da ilha (tem é de ser um queijo mais activo)
- tomilho fresco para polvilhar

Para a massa:
- esparguete ou outra massa a gosto
- sal, açafrão e tomilho seco


Pique o alho. Corte a courgette em rodelas, o pimento em tiras, a cebola em meias luas e a cenouras em palitos (usei uma mandolina). 
Num wok, coloque um fio de azeite e junte o alho picado. deixe começar a fervilhar e acrescente a cebola, cenoura, courgette, cogumelos, talos de couve-flor e o pimento. Deixe saltear, mexendo ocasionalmente. Quando começarem a largar líquido, junte um pouco de vinho, polpa de tomate, molho inglês e tempere com sal, colorau e picante. Deixe cozinhar os legumes e quase no fim, junte as couves de bruxelas previamente cozidas. 
Enquanto os legumes cozinham, coza a massa num tacho com água, sal, açafrão e tomilho seco até estar no ponto de cozedura que gosta.
Sirva a massa num prato, coloque os legumes por cima e guarneça com lascas de queijo (seja generoso) e folhas de tomilho fresco. Sirva de seguida.  


Notas:
* Costumo cozer bastantes couves de bruxelas de uma só vez, deixando-as "al dente". Depois congelo e quando necessito, é só deixar descongelar um pouco e usar na receita, tendo o cuidado de as colocar mais perto do fim da receita.

** Quando comprámos as couve-flor ou brócolos, temos tendência para deitar fora o talo. Asneira, ele é muito nutritivo e também se come. Para isso, basta descascá-lo, retirando bem todo o exterior até não vermos vestígios de casca. Depois é só cortar a gosto e utilizar como outro legume qualquer. Mas retirem bem a casca porque senão vão encontrar uma espécie de fios quando cozinharem.

sábado, 19 de março de 2016

Bolo fresco e fofo (com natas e chocolate)

Hoje é o Dia do Pai e este dia não podia passar sem um bolo de comemoração. Por essa mesma razão, deixo-vos aqui uma sugestão simples de se fazer, um bolo fresco e bastante fofo. Neste caso, o bolo foi feito há pressa (vê-se pela suposta teia de aranha) e eu sou daquelas pessoas que quando o stress se instala. o melhor é ir dormir. Mas como o que conta é a intenção e o sabor, com pressas ou não, vai fazer a delícia do pai, da mãe e dos filhos cá de casa :)

Ingredientes:
- 4 ovos
- 140g de farinha
- 120g de açúcar
- 1 colher (chá) de baunilha ou 1 colher (sopa) de refrigerante de ananás

Para o recheio e decoração:
- 200ml de natas
- 2 colheres (sopa) de açúcar
- 200g de chocolate de culinária
- 50g de chocolate branco
- 2 colheres (sopa) de leite
- refrigerante de ananás ou leite para molhar o bolo*

Bata as claras em castelo, juntando o açúcar aos poucos até obter um merengue (cerca de 15 minutos). Com a batedeira sempre ligada, junte as gemas, uma a uma. Envolva delicadamente a farinha com uma espátula e por fim o aroma a gosto. Verta para uma forma redonda untada e polvilhada, e leve ao forno a 180º durante cerca de 30 minutos. deixe arrefecer um pouco e desenforme (evite correntes de ar para o bolo não baixar).

Entretanto prepare a cobertura. Bata as natas com o açúcar até atingir o ponto de chantilly. Parta o bolo em três, demolhe a base do bolo com o sumo ou leite, cubra generosamente com metade do chantilly, coloque o segundo disco, volte a demolhar e cubra com o restante chantilly. Por fim termine com o último disco de bolo e volte a regá-lo.

Derreta o chocolate de culinária partido ao bocados com o leite e cubra de seguida todo o bolo. derreta o chocolate branco, coloque dentro de um saco plástico, corte a ponta do saco de forma a ficar com um bico bem pequeno e faça uma espiral na superfície do bolo. Com um palito faça linhas perpendiculares às linhas da espiral (primeiro do centro para o exterior e depois entre essas, do exterior para o centro, formando uma teia). Leve ao frio e sirva bem fresco. 

* Use o leite caso aromatize com a baunilha



sexta-feira, 18 de março de 2016

Feijoada de frango

Receitas simples são sempre o meu lema e se forem rápidas, saborosas e saciantes, ainda melhor. Por essa razão, recorro várias vezes a feijoadas, aliás deve ser o prato que mais variantes já fiz e até hoje não desgostei de nenhuma. Esta feijoada de frango é apenas mais uma, mas não podia deixar de a publicar porque ficou bem saborosa e bem mais leve que as tradicionais com carne de porco. Uma refeição que se faz em menos de 30 minutos, que rende e que fica óptima depois de aquecida (aliás, todas as feijoadas são melhores se comidas no dia seguinte). Uma sugestão simples para estes dias que ainda se mantêm frios :)


Ingredientes:
- 1 cebola
- 2 dentes de alho
- 2 folhas de louro
- chouriço de carne qb (de qualidade)
- 3 peitos de frango
- 1 cenoura
- 1 cubo de caldo de galinha
- 1 lata de feijão branco das grandes
- 3 colheres (sopa) de polpa de tomate
- 2 colheres (sopa) de vinho branco
- sal, piri-piri, colorau e cominhos
- azeite qb

Comece por refogar a cebola e o alho picado, a cenoura em rodelas finas e o louro num fio de azeite. Junte depois o frango em cubos, o chouriço em rodelas, o caldo de galinha, o vinho, a polpa de tomate e tempere com sal, colorau, cominhos e piri-piri (ou pimenta). Deixe refogar até o frango ganhar cor e depois acrescente um pouco de água (apenas o suficiente até cobrir quase o frango). Deixe cozinhar até o frango estar cozido e depois acrescente o feijão com uma parte do líquido da lata e deixe refogar mais 5 a 10 minutos, para que o feijão ganhe o sabor. Sirva acompanhado com arroz.


quinta-feira, 17 de março de 2016

Folhadinhos de alheira com grelos

Os petiscos fazem parte do meu quotidiano, aliás eu sou gulosa mas não apenas de doces, acho que os salgados (em especial os petiscos) sempre tiveram um espaço especial no meu cardápio. E como fã de salgados que sou, nunca digo que não a um belo folhado, principalmente se for composto por uma massa bem estaladiça e um recheio saboroso. Esta receita que trago hoje é uma das receitas de folhados mais feitas por cá, variando por vezes entre grelos e espinafres, consoante o que tenho à disposição na hora, e são sempre muito bem recebidos por todos os que os comem. Sendo assim, não podia deixar de partilhar também aqui esta delícia muito rápida e simples de se fazer, com um sabor bem português como eu tanto gosto. Aliás, grelos e espinafres já são um clássico :)


Ingredientes:
- 1 base de massa folhada rectangular (compro no lidl)
- 1 alheira
- grelos qb (usei da horta, congelados)
- 2 dentes de alho
- azeite qb
- ovo batido para pincelar

Comece por alourar levemente o alho no azeite, junte a alheira e envolva bem. Deixe cozinhar cerca de 1 minutos e junte os grelos picados, mexa e deixe apurar o recheio. Deixe arrefecer.
Estique a massa folhada e corte-a a meio na longitudinal, ficando assim com duas tiras longas. Espalhe o recheio pelas tiras, pincele as pontas da massa com água (para colar melhor) e dobre a massa. Pressione as pontas com um garfo e depois corte os folhados com uma faca afiada. Pincele com ovo batido e leve ao forno pré-aquecido a 200º até folhar e dourar a gosto. Sirva quentes ou frios (embora eu prefira quentes).

Nota: se quiser ter estes folhados sempre à mão para eventuais visitas que possam aparecer, congele-os antes de pincelar com ovo. Quando precisar é só descongelar à temperatura ambiente, pincelar com ovo e levar ao forno.

quarta-feira, 16 de março de 2016

Tarte / queijada de frutos silvestres

Eu sou uma gulosa, disso não tenho dúvidas. Mas a verdade é que gosto muito de comer, sejam doces ou salgados, desde que saborosos, fazem esta menina muito feliz. Mas o que a deixa mesmo feliz (e já estou a ficar maluquinha e a tratar-me pela terceira pessoa) é ver os outros a comer com satisfação algo que tenha feito. E melhor ainda, repetirem como se não houvesse amanhã. 
Esta foi uma dessas receitas, uma tarte bem simples, com a consistência mais densa de uma queijada, enriquecida pelos frutos que lhe conferem uma humidade extra. A receita encontrei-a no blog "O meu tempero" e adaptei-a um pouco aos gostos cá de casa. Perfeita para se comer ao lanche ou à sobremesa acompanhada com gelado de baunilha (se eu pudesse acompanhava tudo com gelado). Mais uma receita simples, que geralmente agrada a todos e agora que estamos na época dos morangos, ainda mais uma razão para experimentarem ;) 

Peço desculpa pela foto, mas não consegui arranjar melhor e tinha mesmo de publicar esta :)

Ingredientes:
- 130g de açúcar
- 100g de farinha com fermento
- 40g de margarina
- 3 iogurtes naturais (ou de aroma)
- 2 ovos
- 1 colher (chá) mal cheia de baunilha
- morangos e amoras qb (ou outros frutos silvestres a gosto)

Derreter a margarina. Bater todos os ingredientes muito bem (excepto os frutos). Untar uma forma com margarina e polvilhar com farinha. Verter o preparado e polvilhar com os frutos. Levar ao forno a 180º, durante cerca de 40 mnutos ou até o teste do palito sair seco. Deixar arrefecer um pouco, desenformar e polvilhar com açúcar em pó. 
Fica uma tarte muito agradável mas ainda melhor se servida bem fresca, por isso mantenha-a no frigorífico até à hora de servir.


Notas:
- se quiserem (e forem gulosos) podem aumentar um pouco a quantidade de açúcar (para 150 ou 160g). Por cá gostámos assim, principalmente porque depois de polvilhada com açúcar em pó, fica bem mais doce.
- caso optem por iogurte de aroma, tenham mais atenção ao açúcar para não a tornar demasiado doce.  Como os iogurtes variam muito, eu costumo colocar 100g de açúcar inicialmente, provo o preparado e se achar que necessita de mais acrescento nessa altura.


terça-feira, 15 de março de 2016

Arroz à valenciana (ou um arroz terra e mar)


Eu sou uma fã de arroz assumida e todos os pratos em que ele é rei geralmente cativam-me. Além disso, são (quase) sempre refeições de um só tacho, o que me agrada muito.
Este é um dos pratos que já como desde pequena, uma refeição que a minha mãe faz muito bem mas que eu quis, desta vez, dar o meu toque, trocar uns quantos ingredientes e dizer que este não é o arroz da mamã mas sim o meu. No entanto, este mundo é irremediavelmente redondo e mesmo depois de ter feito umas quantas alterações, não é que ele ficou com um sabor igual ao da mãe - o que vale é que o dela é bom, senão estava tramada :D
Não deixem de experimentar este arroz, que eu gosto mais de chamar arroz terra e mar (e quando era pequena conhecia-o como arroz amarelo com coisas), um arroz cheio de sabor, bem enriquecido e que sabe tão bem ...


Ingredientes:
- 1 cebola
- 2 dentes de alho
- 300g de carne de porco
- 2 peitos de frango
- uma mão cheia de ervilhas
- 3 lulas pequenas (ou potas)
- 1/2 pimento vermelho
- cerca de 15 camarões
- ameijoas com casca qb
- 1 caldo de galinha
- 4 salsichas de lata
- 2 linguiças (ou chouriço de carne)
- vinho branco qb
- sumo de meio limão
- molho piri-piri
- sal, pimenta, colorau e açafrão qb
- azeite qb
- arroz agulha qb

Temperar a carne com colorau, pimenta e sumo de limão.
Picar a cebola e os alhos e refogar num fio de azeite. Juntar a carne e envolver até começar a ganhar cor. Junte o açafrão, o caldo de galinha, o vinho, o pimento em cubos, sal e as lulas partidas em tiras (ou rodelas). Deixe refogar cerca de 10 minutos e depois junte as salsichas em rodelas, a linguiça em rodelas, o camarão, as ameijoas e as ervilhas. Deixe refogar mais 5 minutos, junte o arroz e envolva bem. Acrescente duas medidas (do arroz) de água, tempere com molho de piri-piri e rectifique os temperos. Mexa e quando o arroz absorver a água toda, retire do lume e sirva de seguida. 

segunda-feira, 14 de março de 2016

Pudim de abóbora com baunilha


Depois de um fim de semana de sol e temperaturas amenas, a descobrir o véu da Primavera, espero que venham por aí mais uns dias bem solarengos (que nos últimos tempos estou sempre em dúvida sobre o paradeiro deles). E para tentar chamar o sol, resolvi começar a semana com algo docinho e com cores quentes, algo que geralmente agrada a "gregos e troianos".
Estou a falar dos pudins. Pudim é algo que nunca falta numa mesa portuguesa. Aliás, é uma das sobremesas que mais me lembro de comer na infância. Fosse a casa a que fosse, lá estava o pudim na sobremesa ou na mesa de festa. Talvez por isso eu tenha aprendido a gostar imenso deles. Mas a verdade é que quando resolvi emagrecer, uma das minhas técnicas foi reduzir gradualmente a quantidade de açúcares ingeridos e como tal, tanto eu como os restantes comensais cá de casa aprendemos a gostar de doces "menos doces" que o habitual e desde então nunca mais comi pudim fora de casa porque estranho quase sempre a sua doçura e acabo por ficar enjoada. 



Este pudim que trago hoje não é muito doce, é o que eu considero o ideal para ser considerado sobremesa mas não nos deixar enjoados no final da refeição. Mas caso pertençam ao grupo comum (dos gulosos), podem e devem aumentar a quantidade de leite condensado para ficar ao vosso gosto e não deixem de experimentar este pudim que fica bem saboroso, com um toque subtil de abóbora, aprovado por todos cá de casa. Uma sobremesa que vai fazer parte do rol de doces da Páscoa cá de casa e uma sugestão quiçá, para as vossas mesas também :) 



Receita adaptada daqui
Ingredientes:
- 180ml de puré de abóbora (abóbora cozida e triturada)
- 300ml de leite
- 4 ovos
- 1 colher (sopa) cheia de farinha custard*
- 200ml de leite condensado**
- caramelo líquido qb

Misture todos os ingredientes com uma vara de arames até obter uma mistura homogénea. Forre uma forma de pudim com caramelo líquido e verta o preparado. Tape a forma e coloque-a dentro da panela de pressão. Encha a panela com água até meio da forma e feche. Leve ao lume forte e quando começar a apitar com intensidade, baixe o lume para o médio/baixo e conte cerca de 25 minutos (no máximo). Desligue e retire a forma. Deixe arrefecer, leve ao frigorífico e desenforme na hora de servir. 
Se não tiver panela de pressão, coza-o no forno, em banho-maria.


* se não tiver farinha custard, substitua pela mesma quantidade de amido de milho e acrescente 1 colher (chá) de aroma de baunilha.

** cá em casa estamos habituados a doces menos doces que o habitual por isso este pudim é menos doce. Se gostar de pudins bem doces, aumente a quantidade de leite condensado e vá provando até estar o doce desejado. No entanto, cá em casa todos gostaram dele assim :)

Nota final: se tiverem panela de pressão cozam antes lá os pudins, é muito mais rápido, ficam cozidos com a mesma textura e poupam na energia consumida. Cá em casa, desde que me lembro, nunca comi um pudim que não fosse cozido assim (com excepção dos pudins de microondas que tenho virado fã). Experimentem e depois digam lá se não tenho razão :D


sábado, 12 de março de 2016

Tag - A irmandade das blogueiras

Confesso que ainda sou uma novata nisto da blogosfera mas tenho adorado cada momento que passo aqui. Já aprendi e ensinei (pelo menos espero), já me ri, já me emocionei, já me inspirei, já ... 
Mas mais importante que tudo isso, é sentir-me ouvida e saber que desse lado existem pessoas que me lêem, que gostam de vir a "minha casa" e que me fazem sentir como membro desta grande família.
Quando a Rute do blog "As coisas dela" me nomeou para responder a uma Tag, fiquei super feliz. Eu sei que existem muitas Tag's por essa blogosfera mas esta é especial porque é a blogger que nomeia e que faz as perguntas, nomeando depois 10 blogues para responderem e assim sucessivamente. 
Como tal, deixo aqui as minhas respostas às perguntas da Rute (obrigado por me nomeares) e não se esqueçam de dar uma espreitadela ao blog dela, sempre simpático :)

1 - O que te inspirou para a criação do blog?
Primeiro foi dar a conhecer um novo projecto que tinha (doces e salgados para festas), mas logo percebi que o blog iria mais além e rapidamente passou a ser um espaço de cozinha interactiva, uma partilha de conhecimentos.

2 - Algo no meu blog de que gostes.
A forma sincera como escreves e a diversidade de temas.

3 - Para ti, o Blog significa ...?
Uma porta para o mundo, uma forma de conhecer outras pessoas e viajar sem custos e sem sair do sofá :D

4 - O melhor do dia-a-dia?
Divertir-me com as coisas que mais gosto.

5 - Folgas, para passear ou para descansar?
Infelizmente, hoje posso dizer que estou sempre de folga mas quando não estava, acho que podemos passear e descansar ao mesmo tempo :)

6 - Maior plano para 2016?
Arranjar um emprego que me motive.

7 - Maior sonho a realizar?
Poder viajar sem destino.

8 - Melhor destino? Dentro e fora de Portugal.
Dos que conheço, diria Porto cá dentro e Paris lá fora. Se formos falar de destinos que gostaria de visitar então vou para Sintra (tenho mesmo fascínio pelo palácio) e Praga (mas não me perguntem porquê).

9 - Quente ou frio?
Frio, embora seja friorenta adoro tudo relacionado com o frio.

10 - Cozinhar ou comprar pré-cozinhado?
Cozinhar sem dúvida, os únicos pré-cozinhados que entram cá em casa são as pizzas e mesmo essas têm dias :)


As minhas perguntas:
1 - Algum dia pensaste ser blogger?
2 - O que é que o blog trouxe de novo para a tua vida?
3 - Onde encontras inspiração para publicar?
4 - Quais as coisas que te fazem mesmo feliz, de sorriso de orelha a orelha?
5 - Qual o teu filme preferido?
6 - Qual a tua maior virtude? E defeito?
7 - Como definirias o meu blog?
8 - Doce ou salgado?
9 - Fama ou trabalho?
10 - Cozinhar ou sentar à mesa?



E agora a pior parte, nomear (sim porque eu queria conhecer muitos mais blogues). Nomeio os seguintes blogs:

- Elisa, uma rapariga normal
- Cozinha 100 segredos
- A albicastrense
- O diário da Inês
- O meu pensamento viaja
- A comida da vizinha
- Cozinha de uma desastrada
- A vida de Nessy
- Bimby & Sabores da Vida
- Pitadas de coisas boas

E já agora um pedido (se ainda não estiverem fartos de me aturar). Tenho aí ao lado nos seguidores um número 99 que me está a tirar do sério e se alguém pudesse clicar lá e tirar aquele número da minha vista eu desde já fico muito agradecida, basta mesmo um clique :D
É que se soubessem como me irrita o 99 ... é que este número agora anda em todo o lado, parece que virou moda e então nas compras nem se fala ... :)


sexta-feira, 11 de março de 2016

Bolo fofo de ananás e chantilly


Há bolos e bolos ... uns fazem-se uma vez e esquecemos-nos deles, outros tornam-se parte da família e são repetidos vezes sem conta. Este é um desses bolos, super fofo, que se desmancha na boca e todos adoram, principalmente se servido bem fresco. E que tal prepararem este bolo para a sobremesa de fim de semana (sim, porque fim de semana tem de ter sobremesa). Garanto que fica uma delícia, uma receita que nunca nos deixa ficar mal e à qual ninguém lhe resiste.


Ingredientes:
- 6 ovos
- 200g de açúcar
- 110g de farinha
- 60g de fécula de batata
- 1 colher (chá) de fermento em pó
- 1 lata de refrigerante de ananás

- 3 pacotes de natas
- 6 colheres (sopa) de açúcar
- 1 lata de ananás em calda ou um abacaxi maduro*
- chocolate de culinária qb

Bata as gemas com o açúcar até ficar um creme muito fofo. Junte 3 colheres (sopa) de refrigerante e bata mais um pouco, Junte a farinha, fécula e fermento, batendo na velocidade baixa.
À parte, bata as claras em castelo e envolva delicadamente na massa. Leve a cozer numa forma redonda até o teste do palito sair limpo. Desenforme e deixe arrefecer.

Bata as natas com uma pitada de sal e o açúcar até obter um chantilly** firme. Corte o bolo em 3 partes. Coloque o primeiro disco num prato de servir, regue com uma parte do refrigerante, coloque ananás partido em pedaços muito pequenos, uma parte das natas e depois mais um disco de bolo. Volte a regar com o refrigerante, coloque o resto do ananás, mais um pouco de natas e por fim o último disco de bolo. Volte a regar com o restante sumo e cubra o bolo com uma camada generosa de chantilly. Decore a gosto com as raspas de chocolate. Sirva bem fresco.

* Se quiser pode triturar o ananás para facilitar na hora de cortar o bolo. 
** Geralmente sobra-me sempre um pouco e costumo congelar para depois servir como gelado a acompanhar uns crepes ou bolo.

quinta-feira, 10 de março de 2016

Salsichas à brás com chouriço e cenoura

Comida simples, rápida e saborosa é o lema deste blog e esta receita enquadra-se perfeitamente nessa categoria. Depois da necessidade de fazer um almoço rápido para mim, foi só dar uma vista de olhos pela dispensa e frigorífico e logo surgiu a ideia da receita a fazer. Já andava com vontade de fazer algo à brás e assim surgiu este, onde o chouriço lhe confere um gosto especial e a junção da cenoura serve para atenuar a quantidade de batata palha (esta pode ser também substituída por courgette que fica igualmente saborosa). Não deixem de experimentar, até porque este prato se faz em menos de 15 minutos e nem suja grande loiça, o que para mim é o ideal. 


Ingredientes:
- salsichas de lata
- batata palha
- cebola em rodelas finas
- cenoura em palitos finos
- alho picado
- chouriço mouro em rodelas finas
- ovos
- sal, pimenta e salsa picada (de preferência fresca)
- azeite qb

Comece por refogar a cebola, o alho e a cenoura num fio pequeno de azeite. Junte as salsichas em rodelas e o chouriço e deixe refogar mais um pouco para largar sabor. Junte as batatas, tempere com sal e pimenta, envolva bem e retire do lume. Junte os ovos batidos, envolva e leve novamente ao lume brando, mexendo até os ovos estarem cozinhados a gosto. Sirva de seguida, polvilhado com salsa picada.


quarta-feira, 9 de março de 2016

Brooklyn Blackout Cake


A receita que vos deixo aqui hoje não é para qualquer um. É simplesmente uma overdose de chocolate, um clássico americano digno de qualquer chocolate lover e até mesmo dos restantes habitantes deste mundo que, tal como eu, gostam de chocolate mas não entram em delírio com o mesmo. Um bolo rico e extremamente saboroso, que fez as delícias de quem o comeu e as minhas também :D


E agora perguntam vocês do que estou eu a falar. Bem, minha gente, hoje o Óscar vai para o ... Brooklyn Blackout Cake.
Um bolo clássico americano que ganhou popularidade durante a 2ª Guerra Mundial, devido aos apagões que Nova Iorque se viu obrigada a ter para se proteger dos ataques inimigos, uma vez que abrigava um dos estaleiros mais importantes da marinha dos Estados Unidos. Como alvo importante, era necessário camuflar a cidade para que os navios não ficassem expostos e assim sendo, foi decretado que durante certos períodos de tempo, a cidade ficasse completamente às escuras (e até as janelas das habitações eram cobertas com panos escuros).
Nesse período e mesmo com todo o racionamento de luz e alimentos que a cidade estava a ter, uma padaria de Brooklyn, a Ebinger's Bakery, criou este bolo e até aos dias de hoje, continua a ser um dos mais apreciados por todos os amantes de chocolate e não só.


Partindo para a segunda edição do Sweet World, dos blogs Basta Cheio, da Susana e Lemon & Vanilla, da Lia, não podia ignorar este desafio e deixar aqui a minha participação (que nesta altura nem as migalhas sobraram). Um bolo ao qual fiquei rendida, composto por várias camadas de massa fofa, recheado e coberto por um creme denso e delicioso de chocolate, finalizando a decoração com migalhas do bolo. Um bolo de fácil execução, sem precalços, que já vai ficar na memória de quem o provou e aprovou ...




Receita adaptada daqui
Ingredientes (recheio e cobertura):
- 75g de açúcar
- 2 colheres (sopa) cheias de amido de milho
- 1 colher (sopa) de cacau magro em pó
- 1 pitada de sal
- 300ml de leite magro
- 2 gemas
- 120g de chocolate de culinária em barra
- 1 colher (chá) de aroma de baunilha

Dilua metade do amido de milho numa colher (sopa) de leite e misture nas gemas até obter uma mistura homogénea. Reserve.
Num tacho, misture o restante amido de milho, o cacau, o açúcar, o sal e o leite. Mexa e leve ao lume médio até começar a ferver e engrossar um pouco, mexendo sempre. Retire do lume e envolva um pouco deste creme nas gemas (cerca de 3 colheres de sopa) para as temperar, misture-as depois ao creme de chocolate e volte a levar ao lume, desta vez brando, mexendo sempre durante cerca de 1 minuto. Junte o chocolate partido e mexa bem até derreter por completo. Retire do lume, junte a baunilha e verta para um recipiente, cubra com película aderente (a tocar mesmo no creme) e reserve no frio, pelo menos 4 horas ou até ficar bem consistente.


Ingredientes (para o bolo):
- 100g de margarina
- 160g de açúcar
- 2 ovos grandes
- 1 colher (chá) de baunilha
- 260g de farinha
- 1 e 1/2 colher (chá) de fermento
- 1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
- 1 pitada de sal
- 60g de cacau magro em pó
- 250ml de leite magro
- 60 ml de café forte

Peneire os secos. Misture o leite com o café e a baunilha.
Bata a manteiga com o açúcar e junte os ovos até obter um creme fofo (cerca de 5 minutos). Em baixa velocidade, junte a mistura de secos e líquidos, alternando-os. Não bata muito. Coloque numa forma redonda sem buraco (a minha era de 21cm de diâmetro), untada e polvilhada e leve ao forno a cozer a 180º, durante cerca de 40 minutos ou até o teste do palito sair seco. Deixe arrefecer na forma cerca de 10 minutos e depois desenforme. Deixe arrefecer por completo.


Para finalizar, corte o bolo em 4 partes (no meu caso retirei o "papo" superior e depois cortei em 3 partes). Esfarele uma das partes até obter uma farinha grossa (eu usei o "papo" e triturei uns segundos na Yammi mas pode fazer em qualquer robot, até no liquidificador).
Coloque a primeira camada de bolo num prato de servir, barre com 1/3 do creme, cubra com a segunda camada de bolo e mais 1/3 do creme. Por fim, coloque a última rodela de bolo, cubra por completo todo o bolo com o restante creme e depois espalhe uniformemente as migalhas de bolo por todo o bolo, pressionando ligeiramente. Leve ao frio para refrescar um pouco e sirva assim simples ou acompanhado com gelado de limão (o qual aconselho vivamente).

2º edição do desafio Sweet World, dos blogs Lemon & Vanilla e Basta Cheio - "Brooklyn Blackout Cake"


terça-feira, 8 de março de 2016

Frango Teriyaki com arroz e brócolos cozidos


Se há coisa que me fascina na gastronomia é o poder viajar sem sair da cozinha, conhecer novas culturas, sabores e aromas através de uma garfada. A receita que vos trago hoje é mais uma dessas minhas viagens através dos sabores, uma viagem que eu adoraria fazer pessoalmente também mas que por enquanto só pode ser feita desta forma. 
O frango teriyaki é um prato de frango agridoce, com um molho aveludado e muito convidativo. Segundo os japoneses, "teri" significa brilho e "yaki" quer dizer grelhado, sendo assim, "teriyaki" é um molho encorpado usado nos grelhados para lhes conferir brilho, sabor e suculência. Para amantes de sabores agridoces, este prato é uma delícia :) 


Ingredientes:
- 60ml de molho de soja
- 110ml de sumo de laranja (espremido na hora)
- 1 colher (sopa) de mel (se for caseiro pode pôr um pouco menos)
- 1 colher (chá) de gengibre fresco ralado
- 1 colher (sopa) de azeite
- 1 colher (sopa) de margarina
- frango sem osso qb (usei peito e perna)
- sementes de sésamo (opcional)


Descasque o gengibre e rale-o finamente. Numa tigela coloque o frango partidos em pedaços pequenos, o molho de soja, o sumo de laranja, o mel e o gengibre. Envolva muito bem o frango, cubra com película aderente e deixe repousar 20 minutos. 
Coloque as sementes de sésamo numa frigideira e deixe tostar ligeiramente, reserve. 
Passados os 20 minutos, leve uma frigideira ao lume com o azeite e quando este aquecer, junte o frango escorrido (reserve a marinada) e deixe fritar até ganhar cor e começar a querer caramelizar (cerca de 5 a 10 minutos). Retire a frigideira do lume e coloque o frango numa taça.
Junte a marinada à frigideira com a margarina e leve novamente ao lume (médio/alto), para engrossar o molho, mexendo de vez em quando (cerca de 2 a 3 minutos). Retire do lume, junte o frango e envolva bem. Sirva polvilhado com as sementes de sésamo tostadas, arroz branco e brócolos cozidos.

Nota: não necessita de sal porque o molho de soja já é salgado.



segunda-feira, 7 de março de 2016

Bolinhos de amêndoa


Como já devem ter reparado, eu sou uma gulosa e adoro comer. Sejam doces ou salgados, o que eu gosto mesmo é de comer e saborear, testar novos sabores e texturas, mas de preferência receitas simples e rápidas de se fazer. A par dos bolos de fim de semana que nunca podem faltar, também as latas das bolachas não podem ficar vazias e hoje em dia, tenho tido o cuidado de fazer cada vez mais os biscoitos cá de casa.
Estes bolinhos de amêndoa que trago hoje são muito rápidos de se fazer e a receita rende cerca de 35 biscoitos, fofos e levemente aromáticos, doces na dose certa e perfeitos para acompanhar um chá ou café bem quente.  Não deixem de experimentar e dar o vosso veredicto, além de ficarem bem giros, não se vão arrepender do sabor e consistência ...




Ingredientes:
- 90g de açúcar em pó
- 40g de margarina
- 40ml de óleo
- 2 ovos
- 3 colheres (café) de aroma de amêndoa (se gostarem de sabores fortes aumentem um pouco)
- 270g de farinha com fermento (pode precisar de um pouco mais)
- açúcar em pó para polvilhar



Derreter a margarina, juntar o óleo e reservar. Bater com uma vara de arames o açúcar com os ovos. Juntar as gorduras e o aroma de amêndoa e bater mais um pouco. Envolver a farinha e misturar bem até formar uma massa que se despegue bem do recipiente. Levar ao frigorífico durante cerca de 1 hora. Formar bolinhas e passá-las por açúcar em pó. Colocar num tabuleiro de forno e levar a assar durante cerca de 15 minutos (retirar ainda levemente moles porque eles endurecem um pouco depois de arrefecerem).


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...