segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Bolo de banana com aveia

Eu sou uma pessoa que adora regras, ter planos e seguir tudo à risca. Não gosto de imprevistos nem de surpresas, tenho mesmo a necessidade de controlar tudo o que me rodeia quando estou a fazer algo. No entanto, nem sempre conseguimos o que queremos e o bolo de hoje foi um desses exemplos. A verdade é que eu queria fazer um bolo de caramelo para o lanche e para isso usaria um resto de molho de caramelo que tinha no frigorífico. Depois lembrei-me que também queria uns crepes com gelado de sobremesa e o tal molho iria ficar perfeito junto do gelado de baunilha e pronto, lá se foi a ideia do bolo de caramelo.
Mas como cá em casa não é domingo se não houver um bolinho na mesa do lanche, toca a inventar algo e partindo da ideia que tinha, surgiu este bolo de banana, extremamente fofo, sem gordura, pouco doce e com um sabor muito agradável a canela. Ficou um bolo perfeito para o pequeno-almoço e foi o meu hoje, com uma chávena de chá verde bem quentinho :)


Ingredientes: 
- 2 bananas bem maduras
- 150g de farinha (pode usar integral)
- 5 colheres (sopa) cheias de flocos de aveia
- 80g de açúcar amarelo*
- 4 ovos
- 200ml de leite
- 1 e 1/2 colher (chá) de canela
- 1 colher (chá) de fermento em pó

Bater o açúcar com as gemas até obter um creme fofo, juntar a aveia, a canela, o leite e bater mais um pouco. Juntar a farinha e o fermento e misturar muito bem. Bater as claras em castelo e envolver suavemente. Colocar numa forma redonda, untada e polvilhada. Cortar as bananas em rodelas e colocar por cima da massa, pressionando um pouco para elas entrarem na massa. Polvilhar com mais um pouco de canela e levar ao forno, a 180º, durante cerca de 40 minutos ou até dourar e o teste do palito sair seco. Polvilhar com açúcar em pó.

* este bolo fica pouco doce, ou seja, doce o suficiente para se dizer que estamos a comer um bolo mas para os gulosos aconselho a aumentarem a quantidade de açúcar para cerca de 130g.

domingo, 29 de novembro de 2015

Pavlova com morangos e lemon curd


Pavlova é uma das sobremesas que eu demorei a experimentar por ter receio que corresse mal e achar que não seria uma das receitas mais fáceis de se fazer. Mas um dia, ao ver uma das masterclass do Masterchef Austrália fiquei logo com vontade de a fazer. E assim surgiram as pavlovas cá por casa, que vão surgindo de vez em quando como forma de gastar as claras (mais uma) que vão se acumulando no congelador e faz sempre um brilharete na mesa, suscitando vários elogios. Experimentem também e digam lá se não se vão tornar fãs desta sobremesa :) 

Ingredientes:
- 4 claras
- 12 colheres (sopa) rasas de açúcar (3 colheres por cada clara)
- 2 colheres (chá) de amido de milho
- 1 colher (chá) de vinagre de sidra
- 1 colher (chá) de essência de baunilha

- 200ml de natas*
- 2 colheres (sopa) de açúcar
- umas gotas de limão
- morangos qb
- lemon curd qb**

Aqueça o forno a 180º. Bata as claras em castelo e vá adicionando o açúcar aos poucos até obter picos firmes. Junte o vinagre, o amido de milho e a baunilha e bata até misturar na velocidade mínima. Coloque este merengue num tabuleiro forrado com papel vegetal, tendo o cuidado de fazer a forma de um círculo (deixe mais alto ou espalmado consoante queira mais esponjoso ou crocante), deixando sempre as bordas um pouco mais altas. Leve ao forno até dourar e a ficar crocante (cerca de 30 a 40 minutos). Se começar a dourar muito rápido, baixe a temperatura para 150º. Desligue o forno e deixe arrefecer lá dentro (eu costumo fazer à noite e deixar arrefecer até de manhã). 
Bata as natas, junte as gotas de limão e o açúcar e continue a bater até obter um chantilly. Cubra a pavlova com o chantilly, junte os morangos em cubos, o lemon curd e sirva de seguida mas aconselho a levar ao frigorífico até refrescar e servir fresquinha. Esta pavlova mantém-se crocante mesmo 2 dias depois de estar no frio.

* pode substituir as natas por iogurte grego

** para o lemon curd, misture num tacho o sumo e raspa de 1 limão, 1 ovo batido, 20g de manteiga ou margarina e 70g de açúcar. Leve ao lume até engrossar, mexendo sempre em lume médio/baixo. Deixe arrefecer por completo.

sábado, 28 de novembro de 2015

Tiras de pota estufadas


Se há coisa que eu gosto é de lulas, potas, polvo, enfim tudo o que é molusco. E esta receita é mais uma para o livrinho de receitas a repetir vezes sem conta. Aliás, pode mesmo ser repetida porque na verdade não tem nada que nos faça mal e é muiiiiito boa. Além disso, tanto pode ser servida como refeição principal como de petisco porque o molho é perfeito para molhar o pãozinho, só temos mesmo é de controlar a quantidade de pão porque é difícil resistir :)


Ingredientes (para 3 pessoas):
- 400g de tiras de pota*
- 1/2 pimento em tiras
- 1/2 cebola picada
- 2 dentes de alho picados
- 2 folhas de louro
- 4 colheres (sopa) de polpa de tomate
- 1 cubo de caldo de marisco
- 1 colher (sobremesa) de molho cocktail (opcional)
- vinho branco qb
- sal e piripiri qb

Retirar a pele que tem nas tiras de pota e cortar as tiras ao meio (as que forem muito grossas, corte a meio também na longitudinal para ficarem tiras finas). Junte todos os ingredientes num tacho e deixe refogar até as potas estarem tenras e o molho apurado. Não necessita de juntar água porque as tiras de pota largam bastante. Sirva acompanhado com arroz, massa ou batatas cozidas como foi o meu caso.

* também pode utilizar as potas ou lulas inteiras (cortadas em rodelas), tentáculos de pota, o que quiser ou tiver à mão porque a receita não é esquisita :)

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Frango estufado com banana


Eu adoro frango, é daquelas carnes que me sabem sempre bem. E tal como o bacalhau, existem mil e uma maneiras de o cozinhar e esta é mais uma. Esta receita foi feita pela minha mãe, que cozinha muito bem mas não lhe digam porque ela fica convencida :) e é talvez o prato de frango que eu gosto mais. Sempre que o como, tenho de repetir e peço sempre para ela fazer a mais (já a pensar numas empadinhas folhadas com as sobras). 
Não sei se já colocaram banana nos salgados mas posso-vos dizer que a sua conjugação com o pimento é mesmo boa. Não hesitem em fazer esta receita que além de saborosa, é super fácil de confeccionar e depois digam como correu :)

Ingredientes:
- 1 frango limpo de peles
- 2 bananas em rodelas (médias)
- 1/2 pimento verde em tiras
- 1/2 pimento vermelho em tiras
- 1 cebola picada
- 2 dentes de alho picado
- 2 folhas de louro
- 1 colher (sopa) mal cheia de pimentão doce
- 1 cubo de caldo de galinha
- 1 colher (sobremesa) de margarina (desta vez ela não colocou e não notámos a diferença)
- 1 cálice de vinho branco
- sal e piripiri qb

Colocar todos os ingredientes num tacho e levar ao lume até o frango estar cozinhado e o molho apurado. Servir com arroz branco e uma salada.


E caso tenham dúvidas sobre se vão ou não fazer este prato, deixo-vos aqui mais algumas razões para o fazerem :)
O frango:
- protege contra o cancro através da vitamina B3 e do selénio
- protege contra a doença de Alzheimer através da niacina (vitamina B3)
- mantém o coração saudável através da vitamina B6
- protege a tireoide através selénio
- ajuda na perda de peso por ser uma carne magra e rica em proteínas
- óptima fonte de energia através da vitamina B3 e B6

A banana:
- ajuda a regular o sistema intestinal
- reduz na depressão
- reduz a pressão arterial e o risco de doença cardíaca
- fortalece os ossos
- ajuda a parar de fumar através da redução do stress
- evita a anemia
- óptima fonte de energia
- aumenta a nossa memória

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Pudim arco-íris

Já vi várias versões desta receita na net mas costumam levar leite condensado, o que as torna bastante calóricas e pouco saudáveis. Esta receita foi-me dada por uma tia minha e desde então já a fiz várias vezes. Esta é uma das sobremesas mais simples que existem.  Ok, demora algum tempo a fazer porque a gelatina tem de solidificar mas trabalho, na realidade, não dá nenhum. Além disso, fica super gira e os miúdos costumam adorar (bem, os graúdos também) e é uma das sobremesas que mais me pedem nas festas de aniversário dos pequenos. Experimentem também e digam lá se não é boa, nem precisam de dentes que ela escorrega bem :)

Ingredientes:
- 1 embalagem de gelatina de ananás
- 1 embalagem de gelatina de morango
- 1 embalagem de gelatina de maçã
- 1 embalagem de gelatina de pêssego
- 200ml de natas

Faça as primeiras 3 gelatinas individualmente conforme as instruções da embalagem, deixe solidificar e corte em cubos. Reserve.
Faça a gelatina de pêssego, deixe arrefecer. Bata as natas até espessarem e ganharem volume, junte a gelatina já fria e envolva bem. Passe uma forma por água fria, coloque os cubos de gelatina alternados e por fim, verta o creme de natas. Leve a solidificar. Quando for para desenformar, passe a forma por água quente e desenforme.

Nota: Pode optar por outros sabores mas tenha atenção para as cores, convém que sejam distintas para ter um efeito mais bonito. Já experimentei vários sabores no creme de natas mas o sabor a pêssego, na minha opinião, é o que fica melhor.


Alguns dos benefícios da gelatina a terem em conta:
- ajuda a regular o peso por ser rico em fibra
- reduz a inflamação das feridas promovendo mais rapidamente a sua cicatrização através da glicina
- fortalece as unhas, cabelo e dentes através da queratina
- mantém os ossos fortes e saudáveis
- melhora a digestão
- aumenta a juventude dando firmeza à pele
- melhora a qualidade de sono
- optimiza o nosso metabolismo
- estimula o sistema imunológico


Feijoada de grelos com chouriço e ovo escalfado

 

Quem me segue já deve ter reparado que eu gosto muito de feijão, aliás este é um dos ingredientes onde a imaginação não tem limites, e se tiver um ovo escalfado pelo meio então ai, ai, ai ...
O prato que vos trago hoje não é nada de especial, aliás não podia ser mais simples e rápido de se confeccionar mas como ficou tão bom, achei que merecia o seu lugar aqui no blog. No entanto, admito que é para fãs de grelos porque o sabor fica bastante acentuado mas também pode ser substituído por couve, espinafres ou outra verdura a gosto.  


Ingredientes:
- 1 lata de feijão manteiga (ou vermelho)
- 1 cenoura em rodelas finas
- 1 cebola picada
- 3 dentes de alho picados
- 2 folhas de louro
- 5 colheres de sopa de polpa de tomate
- grelos ou outra verdura qb
- rodelas de chouriço qb (eu usei chouriço corrente)
- vinho branco qb
- azeite, sal e piripiri qb
- 3 ovos

Comece por refogar no azeite a cebola, o alho e o louro, quando amolecer junte a cenoura, o vinho, a polpa de tomate e o chouriço, refogue mais um pouco e junte o feijão com a respectiva água. Tempere com sal e piripiri e deixe ferver durante cerca de 3 minutos. junte os grelos cortados e deixe cozinhar (se for necessário junte um pouco mais de água). Quando os grelos estiverem quase prontos, junte os ovos, um a um com cuidado, tape o tacho e deixe o ovo cozer (eu retiro do lume mal a clara fique branca e cozinhada porque gosto da gema líquida). Sirva de seguida, acompanhado com arroz branco.


E aqui deixo-vos algumas das razões para consumirem feijão mais vezes:
- previne o cancro
- regula os níveis de açúcar no sangue
- previne a doença de Alzheimer através da vitamina K 
- desintoxica o organismo
- rico em fibra, regula o intestino e baixa o colesterol
- óptima fonte de energia através do ferro
- óptima fonte de proteína que, se adicionada ao arroz, se torna uma proteína completa
- mantém os ossos fortes


quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Tarte de limão merengada

 
Se há produto que eu gosto é de limão, até tivemos de plantar um limoeiro cá em casa para nos abastecer dada a nossa dependência pelo dito cujo (e olhem que ele tem-se portado muito bem). É para temperar, para limonadas, para sorbetes, para doces, o coitado vai bem com tudo :)
Esta tarte é mais uma das formas (e por sinal muito boa) de se dar uso aos limões e para amantes como eu, vão adorar este docinho. Desde que descobri esta receita na bíblia cá de casa (o livro "Doze meses de cozinha"), que nunca mais fiz outra receita e quem a prova fica fã. Façam-na e digam se não se tornam também limão-dependentes :)


Ingredientes para a massa:
- 200g de farinha
- 100g de margarina
- 1 gema
- 1 colher (sopa) de açúcar
- 1 colher (sopa) de vinagre

Para o recheio:
- 2 gemas
- 1/2 chávena de açúcar (cerca de 125 ml)*
- 2 dl de leite
- 1 colher (sopa) de maizena
- raspa e sumo de 1 limão

Para o merengue:
- 3 claras
- 3 colheres (sopa) de açúcar

Misture os ingredientes da massa, forme 1 bola e deixe repousar no frigorífico durante cerca de 30 minutos. Estenda a massa e forre uma tarteira (previamente untada e polvilhada), pique a massa com um garfo e leve ao forno a 180º, durante 25 minutos ou até dourar. 
Para o creme, dissolva a maizena no leite, junte os restantes ingredientes e leve ao lume até engrossar. Verta na massa e reserve.
Bata as claras em castelo e sem parar de bater, junte o açúcar até formar um merengue. Deite colheradas do merengue sobre o creme e leve ao forno 10 minutos (se não ficar dourado ligue um pouco o grill). Deixe arrefecer antes de desenformar e sirva, de preferência, fresquinha.

* se forem muito gulosos aumentem um pouco na quantidade de açúcar, mas só se forem muito gulosos :)
Follow my blog with Bloglovin

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Bolo de iogurte com cheiro de natal


Ao domingo nunca pode faltar um doce na mesa do lanche e este fim de semana não foi diferente. Geralmente as minhas escolhas recaem sobre um bolo simples, perfeito para acompanhar com um chá, principalmente nestes dias frios. 
Tinha uns restos de fruta cristalizada e umas ameixas secas a pedirem para serem usadas e como estamos às portas do natal, resolvi-lhe dar assim o toque aromático da época que se avizinha :)


Ingredientes:
- 1 iogurte natural
- 2 medidas (iogurte) de açúcar
- 4 medidas (iogurte) de farinha com fermento
- sumo e raspa de 1 laranja
- 5 ovos
- 3 colheres (sopa) de vinho do porto
- fruta cristalizada e frutos secos qb (eu tinha pouca quantidade mas sejam generosos)

Para a calda:
- sumo de 1 laranja
- 2 colheres (sopa) de vinho do porto
- 1 colher (sobremesa) de açúcar

Bata o açúcar com as gemas, junte o sumo e raspa de laranja, o iogurte e o vinho do porto. Misture a farinha e bata até obter uma massa homogénea. Bata as claras em castelo e envolva na massa delicadamente. Verta para uma forma (untada e polvilhada), polvilhe com os frutos, pressione um pouco para que eles entrem na massa e leve a cozer a 180º, até dourar e cozer (faça o teste do palito e quando sair seco, desenforme e deixe arrefecer um pouco. 
Para a calda, leve ao lume os ingredientes até começar a ferver e desligue. Fure ligeiramente o bolo e verta ainda quente sobre ele a calda.


Siga-me agora por e-mail para estar sempre actualizado sobre as novidades do blog. Para isso basta inserir o seu e-mail na barra lateral e ser o primeiro a saber de tudo :)

Arroz "xau xau" e cogumelos salteados com castanhas

 
Eu sou cada vez mais adepta de coisas simples e nas refeições esse lema também mantém-se. A receita de hoje não é mais do que uma limpeza do frigorífico. Com sobras de arroz de uma refeição anterior e um resto de fiambre e de cogumelos a pedirem desesperadamente para serem consumidos, foi fácil encontrar-lhes um destino digno, que embora não seja uma refeição elaborada, posso-vos dizer que me soube mesmo bem e acaba por ser uma solução para gastar aqueles restos que ninguém quer :)

Ingredientes para o arroz:
- arroz cozido
- fiambre (ou chouriço, bacon, salsichas, ...)
- ovos
- ervilhas
- azeite e molho de soja (desta vez usei molho inglês por lapso e também fica bom)

Ingredientes para os cogumelos:
- cogumelos frescos
- castanhas cozidas ou assadas (eu tinha assadas no congelador)
- azeite, sal, pimenta e salsa picada

Faça primeiro os ovos mexidos, batendo-os com uma pitada de sal e leite, verta para uma frigideira quente pincelada com óleo e mexa até ficarem fofos.
Aqueça um fio de azeite num wok com alho picado, junte os cogumelos e deixe cozinhar até amolecerem. tempere com sal e pimenta, junte as castanhas, deixe apurar mais um pouco, polvilhe com salsa picada e reserve.
No mesmo wok, coloque um fiozinho de azeite e cozinhe as ervilhas, junte o fiambre, os ovos mexidos, o arroz e o molho de soja e mexa até estar tudo bem envolvido.
Sirva de seguida e delicie-se :)


Siga-me agora por e-mail para estar sempre actualizado sobre as novidades do blog. Para isso basta inserir o seu e-mail na barra lateral e ser o primeiro a saber de tudo :)

domingo, 22 de novembro de 2015

Tag - Conhecendo novos blogs

Olá a todos, hoje o post é um pouco diferente do habitual mas que me deu imenso prazer escrever. Fiquei bastante surpresa quando vi o meu blog nomeado para responder a este desafio na Cozinha sem Segredos (dêem uma passagem por lá que não se vão arrepender) e fiquei super contente por ela se lembrar de mim. Como tal, não há como recusar este desafio e aqui deixo as minhas respostas, na esperança de dar a conhecer mais um pouco de mim :)


1 - O que te levou a começares o teu blog?
Este blog começou com o intuito de dar a conhecer a mais gente um "hobby" que tanto prazer me tem dado: a confecção de doces e salgados para quem não tem tempo para os fazer. Mas como a vida está sempre em constante movimento, rapidamente este cantinho tornou-se também num espaço de partilha de conhecimentos entre pessoas que até então eu desconhecia e acredito que vai estar sempre a procurar evoluir tanto no conceito como conteúdo .  

2 - O que de melhor o blog trouxe para a tua vida, e porquê?
Acima de tudo, a partilha de ideias e o conhecimento de novas pessoas, dos quatro cantos do mundo. Mas confesso que este blog também me mandou mais para a cozinha, antes fazia apenas os doces cá de casa e agora vejo-me a ir para o fogão e "inventar".

3 - Como concilias a tua vida pessoal com o blog?
Sinceramente não vejo o blog atrapalhar em nada a minha vivência, quando se faz algo com prazer tudo se conjuga em harmonia.

4 - Onde encontras inspiração?
Bem, aí é que a porca torce o rabo mas ... talvez de tudo que se encontra ao meu redor. Pode ser uma ideia que vi em algum lado, um ou dois ingredientes que me pediram para conjugar, uma limpeza no frigorífico, não sei ... mas geralmente não é preciso pensar muito :)

5 - O que te motiva para criares conteúdo no teu blog?
Posso dizer que são principalmente as pessoas que me visitam e os comentários que recebo. Mas também a ideia de partilhar algo que me correu bem e achar que outros também poderão vir a gostar tanto como eu.

6 - Até que ponto o Blog é apenas um hobby, ou melhor, vês o teu blog como um segundo trabalho?
Sim, tal como tinha dito anteriormente, este blog começou mesmo como um "blog rentável" mas como actualmente estou desempregada, este espaço acabou por adquir mais importância do que seria de esperar inicialmente :)

7 - Onde pretendes chegar com o blog (perspectivas futuras)?
Bem, nunca pensei que ele crescesse muito rápido mas não me posso queixar e confesso que quando vejo os números de visitantes e comentários a crescer, isso dá-me vontade de fazer cada vez mais e melhor. E quem sabe, um dia ser famosa ... tou a brincar, eu gosto muito de ser uma incógnita :)

8 - Quais são os teus top 5 de essenciais na cozinha, aquilo que não pode faltar (dispensa, frigorífico ou congelador)?
Só 5? Bem então diria ovos, farinha, legumes, leite e arroz (eu sou mesmo uma arrozeira).

9 - Caso tivesses a oportunidade de ter uma conversa (calma e serena) com alguém que te diz muito nestas andanças da blogosfera, quem seria e porquê?
A esta eu não consigo responder. A verdade é que existem inúmeros blogs interessantes e dos quais eu gostaria de conhecer a pessoa que está por detrás deles mas enumerar apenas uma é impossível :)

10 - Qual o teu guilty pleasure gastronómico?
Eu não tenho apenas um mas posso destacar os salgadinhos fritos (rissóis e croquetes, não sou esquisita nos recheios, desde que sejam bons), a bola de carne (bem recheada) e os bolos simples e caseiros (daqueles sem cremes, ideais para acompanhar com um chá quentinho no inverno ou uma limonada no verão). 


Com o desafio cumprido, passo a batata quente para os seguintes blogs e desafio-os a responderem, caso desejem :)



   

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Salada de frango


Eu não sei como é com vocês mas para mim, no que toca a comida, não existem comidas de verão ou de inverno. Tanto como uma bela feijoada ou cozido à portuguesa no mês de Agosto, como uma salada ou gelado em pleno mês de Dezembro. Como o que me apetece, quando me apetece e hoje deu-me vontade de comer uma salada. Deixo-vos aqui a sugestão, bem simples e rápida, que me matou a vontade. E com vocês como é? Têm refeições tipo por estação ou são como eu, avessos a esteriótipos gastronómicos :) 


Ingredientes (para 1 pessoa):
- folhas de alface
- meio pepino em rodelas
- meio tomate em fatias
- 1 cenoura pequena ralada
- azeite, vinagre e oregãos
- 1 ovo cozido
- 1 peito de frango
- sal, pimenta, colorau, alho em pó e erva príncipe em pó

Coza o ovo e reserve. Achate um pouco o peito de frango e tempere-o com as especiarias. Leve a grelhar numa frigideira com um fio de azeite, até estar cozinhado e dourado. Corte em fatias e reserve.
Misture todos os legumes (excepto a cenoura) e tempere com azeite, vinagre e oregãos. Num prato de servir, coloque a salada preparada, a cenoura ralada, os ovos em rodelas e o frango fatiado. Sirva de seguida.


Siga-me agora por e-mail para estar sempre actualizado sobre as novidades do blog. Para isso basta inserir o seu e-mail na barra lateral e ser o primeiro a saber de tudo :)

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Parodontax - pasta de dentes

Hoje trago-vos um tema que embora não seja culinário, acaba por estar ligado - a higiene oral.

Não sei como é com vocês mas eu sofro, de vez em quando, de sangramento nas gengivas. Embora não considere grave no meu caso (só acontece por vezes quando escovo os dentes), fiquei a saber que existem pessoas a quem este problema é um grande transtorno. 
Não sei se sabiam mas o sangramento gengival é um dos primeiros sintomas da doença das gengivas. 

Imagem retirada da net, do site parodontax.pt

Este mês tive a sorte de ser escolhida para participar numa campanha de experimentação de uma pasta de dentes que dizia ser bastante eficaz na correção deste problema. Estou a falar da PARODONTAX, uma pasta de dentes que visa combater o sangramento gengival, muitas vezes esquecida por todos nós (podem saber mais informações aqui). 
Depois de 15 dias de experimentação, já cheguei às minhas conclusões.

Pontos positivos:
- o sangramento desapareceu (no meu caso era pequeno)
- a eficácia prometida foi conseguida
- a sensação de limpeza no final da lavagem (parece que saímos do dentista)

Pontos negativos:
- o sabor (tem um sabor desagradável inicialmente mas como em tudo, primeiro estranha-se e depois entranha-se)
- a cor (tem um tom acastanhado que não se parece em nada com as típicas pastas de dentes)
- o preço excessivo para a maior parte da população ( cerca de 8€ )

Concluindo, aconselho a experimentarem este dentrífico caso sofram deste problema, porque se não cuidarmos hoje da nossa boca, amanhã iremos ver as consequências, que por vezes podem ser irreversíveis.


#youzzparodontax

Estufado de feijão com legumes


Cada vez mais gosto de feijão e nestes dias em que as temperaturas frescas já se fazem sentir, pratos com leguminosas são algo que me reconforta. Confesso que esta receita nem precisa de mais nada para me satisfazer mas foi um excelente acompanhamento neste caso, receita a repetir mais vezes, de certeza :)


Ingredientes:
- 1 lata de feijão preto (das grandes)
- 1 cenoura
- 1/2 courgette
- 1/2 pimento
- 1 cebola
- 2 dentes de alho
- 2 folhas de louro
- vinho branco qb
- sal, pimenta, cominhos e sementes de funcho qb
- azeite qb

Comece por preparar os legumes. Pique a cebola e os alhos, corte a cenoura em tiras finas e os pimentos e a courgette em cubinhos. Leve ao lume um tacho com a cebola, os alhos, o louro e o azeite, deixe refogar um pouco e junte o vinho, os restantes legumes e tempere a gosto (cuidado com o sal). Deixe refogar cerca de 5 minutos e depois junte o feijão e respectiva água da lata, rectifique os temperos e deixe apurar até os legumes amolecerem e reduzir a quantidade de líquido. Servir de seguida. 
Eu servi de acompanhamento de umas coxas de frango, às quais retirei o osso e recheei com queijo, chouriço e oregãos, temperei com sal, pimenta, colorau e sumo de limão, e depois passei-as na frigideira com um fio de azeite até dourar e cozinhar.


Siga-me agora por e-mail para estar sempre actualizado sobre as novidades do blog. Para isso basta inserir o seu e-mail na barra lateral e ser o primeiro a saber de tudo :)

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Bolo de chocolate e beterraba


Confesso que a beterraba não foi um dos ingredientes que me conquistou à primeira mas persistente como foi, acabou por me dar a volta e hoje já é um dos ingredientes que eu gosto de explorar, procurando sempre novas experiências para ele. 
Já tinha ouvido falar dela nos bolos mas estava um pouco reticente, no entanto, de repente fiquei com algumas a mais para gastar rapidamente e então arrisquei. Depois de dar uma volta pela internet e ver umas quantas receitas, optei por retirar ideias daqui e dali e fazer a minha própria receita. Ao contrário do que eu estava à espera, confesso que o sabor da beterraba ficou lá, de forma ténue mas presente. No entanto, a cobertura deu-lhe um toque especial e gostei bastante do resultado final, um bolo denso mas fofo ao mesmo tempo, doce no ponto certo. Experimentem e dêem o vosso veredicto.    


Ingredientes:
- 250g de chocolate de culinária
- 1 beterraba cozida ralada (250g) - se não gostar de beterraba, substitua por courgette
- 170g de açúcar amarelo
- 3 ovos
- 100g de farinha
- 1 colher (chá) de fermento
- 1 iogurte natural
- 30ml de óleo
- 1 colher (chá) de baunilha (opcional)*

- 200ml de natas
- 2 colheres (sopa) de açúcar
- 1 colher (chá) de baunilha

Derreter o chocolate (eu derreto no microondas, tendo o cuidado de ir mexendo de 30 em 30 segundos até derreter por completo para não queimar).
Bater os ovos com o açúcar. Sempre a bater junte o óleo, o iogurte, a beterraba, a baunilha, a farinha e o fermento. Junte por fim o chocolate derretido e verta para uma forma redonda de 21cm, untada e polvilhada. Leve ao forno, a 180º, durante cerca de 45 minutos mas convém fazer o teste do palito. Desenforme e deixe arrefecer completamente.
Entretanto, bata as natas em chantilly com o açúcar, junte a baunilha e cubra o bolo depois de frio. Decore a gosto e mantenha no frio até servir.

*Eu não coloquei a baunilha mas para a próxima irei pôr porque achei que lhe faltou esse toque para quebrar o gosto da beterraba que ainda ficou levemente presente, daí ter já colocado nos ingredientes. caso queira, pode substituir a beterraba por courgette.


Siga-me agora por e-mail para estar sempre actualizado sobre as novidades do blog. Para isso basta inserir o seu e-mail na barra lateral e ser o primeiro a saber de tudo :)

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Lombinho de porco com açorda

 
Eu sou uma fã de carne, disso não tenho dúvida e esta receita, embora bem simples e com poucos ingredientes, fez as delícias de todos nós cá em casa. No entanto, embora possa parecer impossível, não foi o lombinho de porco (considerado o filé mignon do bicho) que sobressaiu neste prato mas sim o acompanhamento, que embora simples, teve um toque diferente e que nos surpreendeu pela positiva. Se puderem, experimentem e dêem a vossa opinião ...

Ingredientes (para 3 pessoas):
- 1 lombinho e meio de porco
- sal, pimenta e alecrim
- 2 dentes de alho
- vinho branco qb (usei cerca de 4 colheres de sopa)
- vinho do porto qb (usei cerca de 2 colheres de sopa)
- azeite qb

- pão qb (usei 4 carcaças)
- 1 caldo de carne
- alhos picados qb (usei 3 dentes de alho)
- colorau, sal e pimenta qb
- azeite qb

Cortar os lombinhos em fatias e temperar com sal e pimenta. Numa frigideira, levar ao lume o azeite, alhos esmagados e um raminho de alecrim. Juntar a carne e deixar ganhar cor de ambos os lados. Juntar o vinho branco e o vinho do porto e deixar acabar de cozinhar e o molho reduzir um pouco.
Entretanto, preparar a açorda. Levar ao lume um pouco de água (o suficiente para demolhar bem o pão) com um caldo de carne e uma pitada de pimenta. Cortar o pão em pedaços pequenos e verter uma porção desta água quente sobre ele, desfazendo-o. 
Levar um tacho ao lume com o azeite e os alhos picados finamente. Deixar refogar (cuidado para não queimar), juntar o pão, o colorau e mexer até obter a consistência desejada (pode juntar um pouco mais de água se gostar da açorda mais fluída). Rectificar os temperos, se necessário, e servir de seguida.    


* O colorau utilizado foi comprado em Espanha e foi o toque especial nesta açorda, garantindo-lhe um sabor "fumado" muito bom. Aconselho a quem tiver a oportunidade de ir até Espanha, comprar o pimentão doce deles que nada tem a ver com o nosso, de sabor e cheiro muito característico, é uma mais valia para certos pratos como foi o caso desta açorda :)


domingo, 15 de novembro de 2015

Cheesecake de café e caramelo


Cheesecakes são sempre bem-vindos cá em casa e como tal, procuro sempre diversificar os sabores. Este foi a nossa sobremesa de domingo, depois de um cozido à portuguesa feito pela minha mãe, final de refeição perfeito e desenjoativo que muito nos agradou. Utilizei na cobertura molho de caramelo mas pode optar por outra cobertura como molho de chocolate, chantilly, praliné de nozes, a escolha é vossa :)

Ingredientes:
- 200g de bolacha maria
- 100g de margarina
- 2 colheres (sopa) chocolate em pó

- 400ml de natas
- 250g de queijo quark (ou queijo-creme se gostar mais)
- 5 folhas de gelatina
- 3 colheres (sopa) de café solúvel*
- 6 colheres (sopa) de açúcar*

Triture a bolacha, junte-lhe o chocolate em pó e a margarina derretida e mexa rapidamente. Forre o fundo de uma forma com aro e reserve. 
Bata as natas em chantilly com 4 colheres de açúcar, junte o queijo e continue a bater. Junte o café a gosto e mais açúcar até obter a intensidade que deseja. Demolhe as folhas de gelatina em água fria, escorra e leve a derreter no microondas. Junte-lhes um pouco da mistura anterior para temperar e depois envolva tudo rapidamente. Verta sobre a bolacha e leve ao frio até solidificar. Decore com molho de caramelo, receita aqui.

* A quantidade de café e de açúcar depende do gosto de cada um, cá em casa gostámos dele mais para o carregado em café mas fica ao critério de cada um a quantidade a usar. Aconselho a ir colocando, tanto o açúcar como o café, e ir provando até obter o sabor desejado.


Molho de caramelo


Molho de caramelo é algo que sempre me agradou. Lembro-me de adorar comer os sundae pelo molho de caramelo que envolvia o gelado (a única coisa que conseguia comer no McDonald's e aonde já não vou há anos). Desta vez, este molho serviu para complementar um cheesecake mas as suas aplicações são infinitas, deste a cobertura de semifrios, recheio de bolos, nos crepes, gelados, enfim até onde a imaginação nos levar :)

Ingredientes:
- 200g de açúcar
- 100ml de água
- 200ml de natas
- 40g de manteiga ou margarina

Leve ao lume o açúcar e a água até obter uma cor âmbar (caramelo claro) e retire do lume. Junte a manteiga e mexa (cuidado para não se queimar) e depois junte as natas, mexendo sempre até obter uma mistura homogénea. Leve novamente ao lume até engrossar um pouco, mexendo sempre. O molho ainda vai estar líquido mas ele engrossa ao arrefecer.  

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Brás de legumes com frango


Cada vez mais gosto de legumes nas refeições, principalmente como elemento principal do prato. Esta receita surgiu depois do meu irmão ter visto o Peso Pesado Teen na sic, este domingo e terem feito lá um brás de bacalhau com legumes e sem batata, receita que ele resolveu logo fazer e da qual gostou bastante. Como ele falou bem do prato, resolvi também eu experimentar mas como não me estava a apetecer comer bacalhau, resolvi fazer com frango, o "bacalhau da terra", sim porque se para o bacalhau existem 1001 receitas, para o frango acho que vamos às 1002 :)
Deixo-vos aqui esta sugestão, bem saudável, que pode ter várias variantes consoante o nosso gosto, desde a variedade dos legumes à escolha da proteína, assim como a junção de especiarias, tudo é permitido. 


Ingredientes (para uma dose com sobras):
- 1 peito de frango
- 1 cenoura
- 1/2 courgette
- 1/4 couve lombarda
- 1/2 cebola
- 2 dentes de alho
- 2 folhas de louro
- vinho branco qb
- 3 ovos
- azeite, sal e pimenta qb

Leve ao lume uma frigideira ou wok e refogue no azeite a cebola cortada em rodelas finas, os dentes de alho picados e o louro. Deixe refogar um pouco e junte o frango em tiras, tempere com sal e pimenta e deixe estar uns segundos até o frango ganhar cor, junte o vinho e deixe refogar mais dois a três minutos. Junte então os legumes, envolva bem e deixe cozinhar (eu coloquei uma tampa para criar vapor e cozinhar mais depressa). Quando estiver quase pronto, retire a tampa, rectifique os temperos e envolva 3 ovos batidos, mexendo tudo. Sirva de seguida. 

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Panquecas de iogurte e aveia


Há imenso tempo que eu não comia panquecas e hoje, enquanto andava a fazer as limpezas de inverno com o meu pai na vegetação do jardim, deu-me uma vontade enorme de as comer. Quando acabei o serviço, fui logo para a cozinha e com a fome que estava, nem sequer procurei uma receita, foi mesmo a olho, pondo ingrediente a ingrediente até ter a consistência certa. Como a coisa até correu bem, deixo-vos aqui a receita para experimentarem já que ficaram bem saborosas e fofas, bem ao meu agrado. Posso-vos dizer que a receita rendeu 5 panquecas e entre mim e o meu pai, desapareceram em cinco minutos, somos mesmo esfomeados :) 

Ingredientes:
- 1 iogurte de aroma (usei um cremoso de frutos silvestres)
- 1 ovo
- 2 colheres (chá) de xarope de groselha (opcional, foi para dar o toque rosado)
- 2 colheres (sopa) de flocos de aveia (30ml)
- 7 colheres (sopa) de farinha com fermento (105ml)
- 2 colheres (sobremesa) de açúcar
- 1 colher (café) de fermento
- 60ml de leite

Bater o ovo com o iogurte. Misturar os restantes ingredientes. Aquecer uma frigideira anti-aderente (eu coloco um pouco de óleo e passo depois um papel para absorver o excesso), colocar conchas da massa, quando começar a borbulhar, virar e deixar cozinhar mais um pouco. Servir simples, com compota, iogurte grego, ... eu comi mesmo assim ao natural :)

Tarte gelada de bolacha


Tarte gelada de bolacha é uma daquelas receitas da minha infância, era a sobremesa que estava sempre no congelador, para qualquer visita inesperada. Depois, com o passar dos anos, ela passou a ser menos frequente e outras tomaram-lhe o lugar. No entanto, posso dizer que continua a ser presença assídua sempre que os meus padrinhos vêem cá a casa porque o meu padrinho, galego de gema, adora esta tarte e não consegue resistir a duas boas fatias :)
Com o verão de S.Martinho, aproveitem para fazer esta tarte que, regra geral, é aprovada por todos e com as temperaturas que têm estado, vai sempre bem um geladinho ou não? 

Ingredientes:
- 400ml de natas
- 3 claras*
- 4 colheres (sopa) de açúcar
- 200g de bolacha maria
- leite qb

- 6 gemas
- 6 colheres (sopa) de açúcar
- 6 colheres (sopa) de água

Bata as natas com o açúcar até obter um chantilly. Bata as claras em castelo e envolva nas natas. Forre uma forma redonda de 20cm de diâmetro com película aderente** (para desenformar melhor) e vá fazendo camadas de bolacha embebida em leite e creme de natas. termine com uma camada de natas e leve ao congelador até endurecer. 
Entretanto, misture as gemas, o açúcar e a água com uma vara de arames, leve ao lume até engrossar e deixe arrefecer. Quando a tarte estiver solidificada, barre com o creme de ovos e leve novamente ao congelador. Convém retirar do frio cerca de 15 a 20 minutos antes de servir.  

* Inicialmente eu não usava mas acho que o creme fica mais leve e assim também se fica com menos claras guardadas :)

** Também pode usar uma forma de mola, eu não uso porque como não comemos toda de uma vez, acho mais fácil de voltar a congelar se estiver com uma película aderente para colocar novamente na forma.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Angel cake de limão (ou bolo de claras com limão)


Eu considero-me um bom garfo, gosto tanto de doces como de salgados, não sou nada esquisita (apenas no que se refere a alguns peixes). No entanto, quando chega a hora de ir para a cozinha, confesso que o que me dá mais prazer fazer são os petiscos para um lanche ou entrada e os DOCES, sejam para o lanche ou para a sobremesa :)
Após a entrega de uma encomenda, reparei que fiquei com várias claras numa tigela e como já tinha algumas caixas com claras no congelador, não quis aumentar ainda mais a quantidade e resolvi gastá-las logo. A minha atenção recaiu logo por um bolo de claras, já que estávamos perto do lanche mas todos os bolos que tinha eram com manteiga e cismei que não iria pôr gordura no bolo. Então a solução foi dar uma volta pela net e encontrei aqui uma receita da Martha Stewart que me agradou mas pronto, lá fui eu alterar algumas coisinhas, primeiro porque não tinha cremor tártaro e depois porque queria um bolo de limão. Deixo aqui a minha versão, que não ficou bonitinho, de altos e baixos, mas de sabor óptimo, principalmente com o creme por cima e com uma consistência muito leve, difícil comer apenas uma fatia ...


Ingredientes:
- 8 claras
- 200ml de açúcar
- 160ml de farinha com fermento
- 1 pitada de sal
- raspa e sumo de meio limão

Bater as claras em castelo, quando começarem a ficar firmes, juntar o açúcar e continuar a bater até ficar um merengue. Misturar o limão, o sal e a farinha peneirada, com movimentos suaves para as claras não perderem o ar. Verter para uma forma de buraco, sem untar. Passar uma faca sobre a massa para quebrar possíveis espaços de ar e alisar a superfície. 
Levar ao forno a 180º, durante cerca de 40 minutos (como os fornos variam muito, convém fazer o teste do palito). Colocar a forma sobre uma grade, virada para baixo, mas sem desenformar e deixar arrefecer totalmente. Desenformar e cobrir com o creme, se desejar (eu aconselho).

Para o creme:
- 1 ovo
- 70g de açúcar
- sumo e raspa de 1 limão
- 1 colher (sopa) de amido de milho
- 3 colheres (sopa) de leite

Misturar todos os ingredientes num tacho e levar ao lume até engrossar, mexendo sempre. Quando sair do lume, mexa mais um pouco vigorosamente e cubra a superfície do bolo.


segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Migas de broa: uma base, duas receitas

 

Confesso que migas de broa era um dos pratos que nunca tinha comido e embora já os tivesse visto em diversos lugares, nunca resolvi fazer, talvez por pensar que não fosse gostar. No entanto, estava a dar uma volta pelo congelador e reparei que tinha um resto de broa esfarelada e uma caixinha com feijão frade à espera de um destino. Foi desta que lá andei a cuscar na net na busca da receita mas sempre que olhava os ingredientes, esta era feita com couve galega (nada contra mas só gosto dela mesmo no caldo-verde e nada mais) e então, para não variar, toca a "inventar" à minha maneira. Acho que na realidade podemos fazer com qualquer verdura ou feijão mas esta posso dizer que me soube muito bem. Para quem gosta de um acompanhamento fora das batatas, arroz e massa, esta é uma boa solução, experimentem ...



Ingredientes:
- couve lombarda ripada
- broa de milho esfarelada (tipo migalhas)
- feijão frade cozido
- alho picado
- azeite, sal e pimenta

Coza a couve durante cerca de 5 minutos, apenas para lhe dar uma fervura. Levar ao lume o azeite e o alho, refogando um pouco apenas para largar o sabor (não deixe alourar). Junte a couve e deixe refogar um pouco, de seguida junte o feijão e tempere a gosto com sal e pimenta. Por fim, junte a broa e envolva bem. Vá mexendo até estar com a consistência que goste, mais seca ou húmida (eu juntei um pouco da água de cozer a couve porque gosto das migas mais para o húmido). Sirva de seguida. 
Eu acompanhei com uma costeleta grelhada sem gordura, à qual juntei no fim um cubo de caldo knorr de 3 pimentas e 100ml de água, mexendo sempre até obter a consistência correcta.


Mas como me sobrou ainda uma dose de migas e não me apetecia comer novamente da mesma forma, resolvi colocar num wok algumas rodelas de chouriço a fritar na própria gordura, depois juntei as migas e aqueci-as, envolvendo bem nos sabores do chouriço. Servi de seguida, acompanhado com ovo cozido cortado em quartos.


sábado, 7 de novembro de 2015

Francesinha à moda do Porto (ou melhor, à moda cá de casa)



Francesinha à moda do Porto é um daqueles pratos que volta e meia saem desta cozinha, principalmente ao sábado à noite. No entanto, confesso que cá em casa somos todos muito esquisitos em relação ao molho e durante muitos anos comemos sempre no mesmo restaurante. Digo comemos, até ao dia em que descobrimos esta receita que, depois de uns ajustes, fez com que passássemos a comer em casa. 
Dizem que o segredo está no molho e este é do mais fácil de fazer, fica saboroso e suave, bem ao gosto cá de casa. Não posso dizer que é o melhor do Porto mas posso garantir, modéstia à parte,  que é melhor que muitos que se pagam por aí. Experimentem fazer e digam o que acharam, até porque ninguém pode morrer sem provar uma das 10 melhores sandes do mundo :) 



Ingredientes para o molho (4 pessoas):
- 1 cerveja
- 1 cálice de aguardente ou whisky (pode ser um pouco mais de gostar de um molho mais forte)
- 1 caldo de carne ou marisco
- 3,5 dl de leite (diminuir aqui se aumentar nas bebidas alcoólicas)
- 2 colheres (sopa) de margarina
- 4 colheres (sopa) de polpa de tomate
- 2 colheres (sopa) de maizena
- 4 folhas de louro
- piri-piri qb

Triturar todos os ingredientes (excepto o piri-piri) num liquidificador ou outro similar, de forma a ficar bem triturado. Levar ao lume brando, mexendo sempre até engrossar, temperar com o piri-piri e rectificar de sal se necessário.


Para a montagem (por pessoa):
- 2 fatias de pão de forma (de preferência daquele alto para torradas)
- linguiça cortada finamente
- salsichas de lata (aquelas tipo frankfurt) cortadas em tiras
- bife de vaca ou porco
- queijo e fiambre qb
- ovo estrelado
- azeitonas qb
- batatas fritas qb

Grelhe o bife e na mesma gordura passe as salsichas, já cortadas em tiras. Torre ligeiramente o pão. Coloque por cima da fatia de pão todas as carnes, cubra com a outra fatia e depois com o queijo. Leve a derreter um pouco o queijo. No prato de servir, coloque uma concha de molho, a francesinha pronta, mais molho, o ovo estrelado, as batatas fritas e as azeitonas - se quiser pode colocar ainda mais molho por cima :) 

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Croissants folhados (à francesa)


Quem não gosta de croissants que levante o dedo ... pois, bem me parecia que iria ver pouquíssimos dedos no ar. Eu sou uma das fãs de croissants, de preferência levemente folhados, com uma fatia de queijo ou fiambre. 
No entanto, confesso que é mais fácil comprá-los já prontinhos do que fazê-los em casa. Mas como nunca sabemos o que comemos quando compramos algo já pronto, eu vou fazendo o sacrifício de os esticar, dobrar, esticar, dobrar, ... bem, vocês vão ver se quiserem experimentar. Esta receita encontrei-a aqui já há algum tempo e desde então nunca mais experimentei outra. Agora que o fim de semana está à porta, aproveitem para fazer estas delícias ... ah, estava a esquecer-me de dizer que recheados com nutella também não são nada maus ;) 

desculpem as fotos mas não deu para arranjar melhor :(
Ingredientes*:
- 450g farinha de trigo 65
- 260ml leite
- 10g de margarina mole
- 1 colher (chá) de sumo de limão
- 1 colher (chá) de sal
- 15g de fermento de padeiro fresco
- 40g de açúcar (eu coloco 1 colher de sopa)

Para folhar:
- 150g de manteiga (eu coloco 100g de margarina)
- 1 ovo batido

Colocar todos os ingredientes na MFP, programa amassar (ou amassar à mão até obter uma massa elástica). Deixar repousar a massa numa tigela tapada durante 30 minutos. 
Estender a massa com o rolo até obter um rectângulo grande, espalhar a margarina no centro e dobrar a massa em 3. Levar ao frio durante 10 minutos (se estiver calor, deixo mais tempo). Dar 1/4 de volta à massa de forma a que o rectângulo fique na vertical, esticar de novo, dobrar em 3 e levar ao frio mais 10 minutos. Repetir a operação mais 3 vezes. (caso esteja tempo frio, pode fazer as dobras seguidas, sem mandar ao frio estas vezes todas, basta mandar antes de esticar a última vez) 
No final, esticar a massa até obter um rectãngulo grande, cortar ao meio de forma a obter duas tiras e depois cortar em triângulos**. Enrolar cada triangulo da parte mais larga para a mais estreita, sem apertar, tendo o cuidado de colocar a ponta final por baixo do croissant. Deixar levedar 1 hora ou até duplicar de volume***. 
Pincelar com ovo batido e levar ao forno, pré-aquecido a 220º, durante cerca de 20 a 25 minutos (o tempo varia de forno para forno, por isso convém verificar para não ficarem demasiado secos).


* Eu costumo fazer 1 receita e meia para ter sempre alguns de reserva no congelador.

** Nesta fase pode rechear com nutella, queijo e fiambre, creme pasteleiro, ... ou deixá-los simples para depois decidir na hora qual o recheio que lhe apetece :)

*** Depois de levedados, podem ser congelados num tabuleiro e posteriormente guardados em sacos plásticos. Quando quiser utilizar, basta deixar a descongelar no frigorífico durante a noite, deixar levedar 30 minutos (eu costumo colocar no forno pré aquecido a 50º e depois desligo), pincelar com ovo e cozer. Também pode congelar já assados.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Cheesecake de pera e vinho do Porto


Esta sobremesa surgiu a pedido do meu irmão que lhe deu os desejos por cheesecake e quando lhe perguntei de que sabor queria, a resposta foi logo pera. Como estamos na época delas, nada mais apropriado e lá fui eu inventar para a cozinha. Esta receita surgiu de improviso, numa junção de ingredientes que iam surgindo sempre que abria uma porta ou uma gaveta e, modéstia à parte, gostei bastante do resultado final. Deixo aqui a receita para experimentarem e darem o vosso veredicto :) 



Ingredientes:
MASSA:
- 200g de bolacha maria
- 100g de margarina
- canela e gengibre em pó qb

RECHEIO 1:
- 2 peras
- 1 cálice de vinho do porto
- 1 cálice de água
- 1 pau de canela
- 2 cascas de limão
- 2 colheres (sopa) de açúcar
- 1 colher (café) bem cheia de fécula de batata

RECHEIO 2:
- 2 dl de natas
- 500g de queijo quark
- 3 ovos (claras e gemas separadas)
- 5 folhas de gelatina
- 1 e 1/2 colher (chá) de essência de baunilha
- 5 colheres (sopa) de açúcar*

COBERTURA:
- 4 peras
- 1 colher (sopa) de açúcar amarelo
- 1 colher (chá) de margarina
- 1 pitada de canela em pó
- 1 colher (sopa) de água

Descascar as peras e cortá-las em cubos. Levar a cozer com os restantes ingredientes (excepto a fécula) até a pera ficar macia. Retirar a pera, juntar a fécula e mexer até engrossar um pouco. Reservar.

Triturar as bolachas, misturar as especiarias e a margarina derretida até obter uma farofa. Forrar o fundo de uma forma (daquelas de aro amovível) e reservar.

Bater as natas com 3 colheres de açúcar, juntar o queijo, a baunilha e as gemas, sempre a bater. Colocar as folhas de gelatina em água fria, escorrer e levar a derreter no microondas alguns segundos. Misturar um pouco do preparado à gelatina para temperar e envolver na mistura. Bater as claras em castelo e juntar 2 colheres de açúcar até obter um merengue. Envolver na mistura anterior delicadamente.
Por cima da base de bolacha colocar os cubos de pera e depois verter a mistura de queijo. Levar ao frigorífico até solidificar. 

Entretanto, leve uma frigideira ao lume com a margarina, o açúcar e a água. Quando a margarina derreter, junte as peras descascadas e cortadas em gomos. Polvilhe com canela e deixe cozinhar até começar a caramelizar. Reserve.
Quando o cheesecake estiver solidificado, desenforme e verta o molho de cozer as peras que reservou por cima. Enfeite com as peras caramelizadas e mantenha no frio até à hora de servir.


* Eu utilizei 7 colheres de açúcar mas ficou um pouco doce para alguns dos comensais que provaram, por isso reduzi na quantidade para não me esquecer (sim, porque tenho de voltar a fazer esta receita). Caso sejam gulosos, aconselho a colocarem o açúcar todo.  



terça-feira, 3 de novembro de 2015

Uma salada de couve flor para uma refeição leve


Há dias em que não me apetece comer nada de complicado, algo simples e de preferência sem aqueles acompanhamentos comuns (arroz, massa, batata, feijão). Esta salada surgiu num desses dias, em que se aliou a vontade de comer algo leve à falta de vontade de cozinhar, sim porque isso também acontece :)



Ingredientes:
- couve flor qb
- tomate cherry em gomos qb
- ovos qb
- rodelas de chouriço qb
- azeite, vinagre e sal (na proporção de 3 de azeite para 1 de vinagre)

Coza a couve flor e os ovos. Passe as rodelas de chouriço pela frigideira (sem adição de gordura) até ficarem crocantes. Faça o molho e envolva na couve flor e no tomate. Junte o chouriço crocante e os ovos cozidos cortados em gomos. Eu acompanhei com umas costeletas grelhadas, temperadas com sal, pimenta, alho em pó, colorau e sumo de limão, sem adição de gordura. Bom apetite ...

Um bolo de iogurte para um dia de chuva


Os bolos de iogurte são um dos bolos que mais associo a Portugal e é daqueles que toda a gente já fez ou comeu, tendo cada pessoa a sua versão. Além disso, são bastante versáteis podendo variar o aroma consoante nos apetece. Este é mais uma das versões desta delícia que espero que gostem.

Ingredientes:
- 3 ovos
- 2 iogurtes (usei grego de abacaxi e coco)
- 1 e 1/2 copos de açúcar
- 1/2 copo de óleo
- 1 copo de leite
- 3 copos de farinha
- 1 colher (chá) de fermento
(o copo é a medida do iogurte)

Bater as gemas com o açúcar e um iogurte. Bater bem e juntar o outro iogurte, o óleo e o leite. Misturar a farinha e o fermento. Bater as claras em castelo e envolver na massa. Levar ao forno a 180º durante 45 minutos (convém fazer o teste do palito).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...